Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Atletas do basquete criam campanha em busca de mais igualdade no esporte

Grandes nomes do esporte, como Hortência e Magic Paula, mostraram apoio ao movimento nas redes sociais

Por Maria Clara Serpa (colaboradora) - Atualizado em 16 set 2020, 13h51 - Publicado em 26 ago 2020, 14h30

Inspiradas pelo Dia Internacional da Igualdade Feminina, comemorado hoje (26), atletas do basquete feminino brasileiro lançaram a campanha Levante a Bola Delas em busca de mais igualdade no esporte. A campanha está sendo divulgada nas redes sociais e pede mais visibilidade, apoio e condições igualitárias à modalidade feminina do basquete, com apoio de atletas já aposentadas e outras que ainda estão nas quadras, como Raphaella Monteiro, Tainá Paixão e Gil Justino.

Gil Justino, jogadora de basquete, com camiseta do movimento. Foto: Renan Pirani/Reprodução

O movimento começou com Érika de Souza, atleta profissional que já venceu campeonatos pela Liga de Basquete Feminino CAIXA, Women’s National Basketball Association (WNBA, o maior campeonato do esporte nos Estados Unidos) e Liga Espanhola. “O basquetebol feminino já foi Campeão Mundial, Medalhista Olímpico e ganhou vários outros campeonatos importantes. E as glórias não ficaram só no passado: ainda ganhamos títulos e formamos grandes talentos”, diz a atleta.

Érika de Souza, que atualmente joga no Chicago Sky, nos EUA. Foto: Julian Campos - Levante a Bola Delas/Divulgação

É sempre bom relembrar que a Seleção Feminina de Basquete já trouxe títulos muito importantes para o Brasil. Em 1991, em Cuba, venceram o Pan-Americanos; em 1994, na Austrália, levaram o ouro do Mundial e, em 1996, chegaram à única final olímpica do Brasil, conquistando o segundo lugar. Apesar disso tudo, as atletas ganham salários bem mais baixos que os atletas de mesmo nível e os times sofrem para conseguir patrocínios. A ideia da campanha é, principalmente, provocar ações práticas que valorizem o esporte.

Tainá Paixão é armadora e participou das Olimpíadas de 2016. Foto: Julian Campos/Divulgação

Além de Érika, o movimento também é apoiado por outros grandes nomes do basquete, como Magic Paula e Hortência. “As mulheres estão sim buscando seus lugares ao sol para serem reconhecidas e valorizadas. A mulher pode sim praticar o esporte e tê-lo como profissão. Já caminhamos muito, mas ainda há um longo caminho a trilhar. Movimentos dessa natureza só fortalecem o basquete feminino e as atletas envolvidas nesse processo. Pode ser um start para as outras modalidades estarem juntas neste contexto. É nosso papel e é dessa forma que posso contribuir para que o esporte se fortaleça cada vez mais, com patrocínios, uma competição forte e mais jogadoras atuando e curtindo o basquete. Tudo o que eu tenho hoje foi conquistado através do basquete e faz parte da minha filosofia estar junto e apoiar”, diz Paula.

Magic Paula, um dos maiores nomes do esporte brasileiro, também aderiu à iniciativa. Foto: Renan Pirani - Levante a Bola Delas/Divulgação

O vídeo oficial da campanha conta também com a participação da jornalista esportiva Glenda Kozlowski, que enfatiza a urgência do movimento. “A igualdade de gênero não pode mais esperar. É uma honra poder dar as mãos às jogadoras nesta luta por igualdade e respeito. Não podemos mais aceitar tamanhas diferenças que acontecem entre o feminino e o masculino nas arenas esportivas. Nós mulheres não podemos mais aceitar que, na lista da Forbes dos 100 atletas mais bem pagos do mundo, só tenham duas mulheres e de apenas uma modalidade – o tênis. É um momento de reflexão e de muita atitude”, comenta.

View this post on Instagram

26 de agosto. Dia Internacional da Igualdade Feminina. Uma data bastante icônica para iniciarmos um movimento pela igualdade no esporte, em especial no basquete. O basquetebol feminino já foi Campeão Mundial, Medalhista Olímpico e ganhou vários outros campeonatos importantes. E as glórias não ficaram só no passado: ainda ganhamos títulos e formamos grandes talentos. Mas, apesar disso, o apoio está escasso. Precisamos de patrocínios, de investimentos, do suporte de marcas esportivas, de espaço na mídia. Aproveitamos este para levantar estas questões e provocar AÇÕES PRÁTICAS que valorizem o nosso basquetebol feminino. QUE LEVANTE A BOLA de atletas, times, equipes técnicas que colocam seu coração, seu suor, seu talento e suas vidas nas quadras pra LEVANTAR O NOME DO BRASIL E DO ESPORTE no cenário nacional e mundial. Por igualdade salarial, mais apoio, mais representatividade. #LevanteABolaDelas, porque já está 
mais do que na hora. Convido meus amigos @lucasbebe92 @imfelicio @olivinha16 @markim11_ a virem com a gente! #ValorizaAsMinas #IgualdadeFeminina #EmpateNoBasquete

Continua após a publicidade

A post shared by Érika de Souza (@erikasouza14) on

O movimento já ganhou forças nas redes sociais, especialmente no Instagram, em que atletas, profissionais ou não, estão compartilhando suas vivências e pedindo por mais igualdade no basquete por meio da #LevanteABolaDelas.

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade