Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“Sempre fui muito mimada. Era a filhinha de mamãe, não tenho vergonha de falar”, diz Bárbara Evans

A vencedora de A Fazenda revela seus planos para o futuro e comenta a crise na relação com a mãe

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 11h47 - Publicado em 20 nov 2013, 21h00

Barbara vai investir em uma marca de produtos femininos com seu nome e quer ser apresentadora de TV
Foto: Lailson Santos

Em São Paulo, onde mora há um mês, Bárbara Evans recebeu a reportagem da CONTIGO!. Na entrevista, ela falou sobre o relacionamento com a mãe e sobre seus planos na capital paulista, onde pretende seguir carreira como apresentadora de TV.

Como tem encarado a fama?
Nasci meio que famosa por causa da minha mãe. Levei um susto quando aconteceu comigo. Estou começando a aprender a lidar, aceitar e gostar.

Está mais madura depois do programa?
Sempre fui muito mimada. Era a filhinha de mamãe, não tenho vergonha de falar. No programa, tive de enfrentar tudo sozinha, ali não tinha mãe para colocar a mão na minha cabeça. A gente precisa crescer. Chegou a hora. Estou aqui para dar a cara a tapa e enfrentar tudo.

Você deixou a casa de sua mãe para morar sozinha em São Paulo…
É a primeira vez que moro sozinha. Estou amando ter meu espaço.

O que fez com os 2 milhões de reais do prêmio de A Fazenda?
Nunca fui muito de gastar. Gasto hoje com o apart-hotel que alugo. Quero deixar o dinheiro guardado, rendendo. O que ganho com meus trabalhos vou vivendo.

Disse que daria metade do prêmio para sua mãe. Mudou de ideia?
Foi na hora da emoção, uma forma de demonstrar carinho, amor, agradecimento, mas não tem como… Nunca vai faltar nada para minha mãe, já falei para ela que, se precisar de minha ajuda, eu vou dar, mas eu ganhei e não vou dar nada. Eu preciso viver, ela fez a filha para o mundo. Ela tem casa em Alphaville, Búzios, Ipanema, tem como se virar. E eu estou começando a minha vida agora. Ela sabe que pode contar comigo sempre.

Agora, separadas, têm conversado mais?
Nunca fui muito de ouvir conselhos, sempre fui de quebrar a cara. Conversamos tipo: “Oi, está tudo bem aí? Como estão os cachorros? Eu te amo, beijo”. Conselhos ela não dá, porque sabe que não escuto. Sou muito fechada. Ela sempre diz: “Você confia mais em suas amigas do que na sua mãe”. Não sou de perguntar a opinião de ninguém. Penso do meu jeito e não deixo ninguém mudar minha cabeça.

Você e seu pai nunca foram muito próximos. Como está a relação?
Desde que sai de A Fazenda, o relacionamento com meu pai melhorou. Em relação ao trabalho, eu o tenho escutado muito. Mando os contratos, ele lê, envia para o advogado. Está sendo um amigo.

Se a amizade com seu pai melhorou, o relacionamento com a sua mãe ficou bastante estremecido, não?
Está tudo certo, normal. Com muito carinho tudo vai se ajeitando. Ela está se tratando, indo à psicóloga, ao psiquiatra, tomando remédio, está de namorado novo. Estou longe, mas muito feliz.

Por que preferiu ficar longe dela durante o tratamento?
Os médicos pediram para eu não visitá-la, ou atrapalharia o tratamento. Quando a crise passou, fui lá vê-la.

Continua após a publicidade

Acha que sua mãe está com ciúme?
Sou o nenê dela. Sei que ela quer me proteger. Mas, por ser uma pessoa que tem depressão, isso triplica o problema.

Monique disse ter ficado chateada por você não a ter consultado ao contratar um empresário.
Penso que isso é problema meu. Acho que ela quer meu bem, mas por que eu vou perguntar? Não vai adiantar…

Por que não a quis como empresária?
Meu pai me ajuda no sentido de ler os contratos e aconselhar. Uso a inteligência dele para me ajudar a não entrar em furada. Como empresária, não quero misturar família e trabalho. Acho que poderiam surgir brigas.

Como foi a infância ao lado de sua mãe?
Ela sempre deixou tudo! Foi mãezona, mas muito liberal. Nunca me prendeu. Por isso sou assim, meio destrambelhada (risos). Ela foi a melhor mãe, me deu todo amor e carinho. Já meu pai era rígido. Agora que estou crescendo sozinha, começo a entender o lado dos dois.

Sente falta da companhia dela?
Por enquanto não. Quero ficar um pouco sozinha. Na casa dela não vou conseguir construir minha vida.

Fica chateada com o que Monique fala de você pelo Twitter?
Já acostumei com isso. Às vezes fico sabendo por lá, antes mesmo de ela me ligar. Essa é minha mãe. Ela quer que todo mundo veja. Ela gosta de atenção, é carente, queria que eu estivesse do lado dela. Minha mãe só quer amor e carinho.

Acha que a relação entre vocês duas piorou depois de A Fazenda?
Não teve esse relacionamento, porque ela foi internada. Ficou 15 dias e eu estou fora há um mês. Não deu tempo de retomar, mas está sendo bom, sem pressa. A distância está fazendo bem para as duas.

Quais são seus planos?
Estou licenciando minha marca de produtos femininos. Também terei um coach. Vou estudar para ser apresentadora.

Confira mais detalhes sobre a relação de Bárbara e Monique Evans.
Leia a entrevista com Monique Evans.

ESTA MATÉRIA FAZ PARTE DA EDIÇÃO 1992 DA REVISTA CONTIGO!, NAS BANCAS EM 20/11/2013.

"Sempre fui muito mimada. Era a filhinha de mamãe, não tenho vergonha de falar", diz Bárbara Evans

Barbara, aos 11 anos, em desfile no Rio de Janeiro
Foto: Arquivo pessoal

Continua após a publicidade
Publicidade