“Não é uma fraqueza” diz Príncipe Harry, pela 1ª vez, sobre a dificuldade em lidar com a morte da mãe

Harry tinha 12 anos quando a mãe morreu em 1997 e tinha dificuldade de falar sobre o assunto.

Depois de quase 20 anos, Príncipe Harry, 31 anos, resolveu falar sobre a morte da mãe, Lady Di. Se para o mundo todo o acidente de carro fatal sofrido pela princesa foi uma tragédia, para o filho caçula dela não podia ser menos pior. Na segunda-feira (25), em entrevista à BBC, ele disse ter se arrependido de não ter falado sobre o assunto antes.

Harry tomou coragem para contar sobre suas dificuldades em lidar com a perda da mãe em no evento de caridade da Heads Together (Cabeças Unidas, em português) – fundação criada por ele junto a seu irmão William e sua cunhada Kate Middleton –, que reuniu diversas estrelas do esporte para falar sobre saúde mental. “Não tem problema sofrer, mas você precisa falar disso. Não é uma fraqueza. Ser fraco é ter um problema e não admitir isso e não resolvê-lo”, declarou o príncipe. 

Leia mais: Razões pelas quais o príncipe Harry é a melhor pessoa da família real

Em uma referência ao jogado de futebol Rio Ferdinand, que perdeu a esposa devido a um câncer no ano passado, Harry disse “É muito fácil alguém olhar para ele e dizer: ‘Você ganha muito bem, é um jogador de sucesso, tem carros velozes’. Mas, no fim, o que importa é que sua esposa foi arrancada dele ainda no início de sua vida ao lado dela. Então, é claro que ele vai sofrer, não importa se ele tem um trabalho incrível.”

A partir disso, ele pareceu compartilhar a própria história. “As pessoas acham que você tem uma carreira, estabilidade financeira, família, uma casa, todo esse tipo de coisa, e acham que isso é tudo que você precisa e que não tem problemas.” À BBC, ele disse que o evento lhe deu segurança para falar do assunto e mostrar que todos podem ter problemas, até mesmo a realeza. Harry disse que faz apenas 3 ou 4 anos que ele se sente confortável em falar disso.