MP-SP denuncia Lirio Parisotto por ter agredido Luiza Brunet

A acusação direcionada ao empresário se enquadra no crime de lesão corporal, com base no que diz respeito às medidas da Lei Maria da Penha

O empresário Lirio Parisotto, 62 anos, acusado pela ex-mulher, Luiza Brunet, 54 anos, de tê-la agredido, foi denunciado criminalmente pelo Ministério Público Estadual de São Paulo (MPE), na última segunda (25). 

Leia mais: Luiza Brunet acusa ex-companheiro de agressão: “É doloroso ter que me expor”. 

O promotor responsável pelo caso é membro do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid), identificado como Carlos Bruno Gaya da Costa, e, segundo consta no texto, a acusação direcionada ao ex-companheiro se enquadra no crime de lesão corporal, com base no que diz respeito às medidas da Lei Maria da Penha

Veja também: Acusado de agredir Luiza Brunet, Lírio Parisotto nega: “Tento me defender através da imobilização”​

Foram anexados à denúncia ainda dois laudos do Instituto Médico-Legal capazes de provar as agressões – sendo um datado de dezembro do ano passado. O caso ganhou os holofotes da mídia após a modelo ter concedido uma entrevista à coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, na qual ela disse ter sido espancada no dia 21 de maio, no apartamento de Lirio, na cidade de Nova York, enquanto o casal estava viajando a negócios. 

Leia mais: Luiza Brunet divulga foto em que aparece com hematoma no rosto.

O empresário negou todos os fatos ao Ministério Público Estadual e também afirmou ter apanhado “diversas vezes” de Luiza – ainda citou que há testemunhas que estão dispostas a confirmar sua versão. Lirio disse que foi agredido pela ex-companheira durante um passeio de barco da Turquia para a Grécia, no ano de 2015. 

Para que o agressor passe a responder como réu, é necessário que a Justiça aprove a acusação encabeçada por Carlos Bruno, promotor do Gevid