Morre Vida Alves, atriz do 1º beijo da TV brasileira

Cinco curiosidades sobre a atriz que protagonizou dois momentos históricos da TV brasileira: o 1º beijo e o 1º beijo gay da teledramaturgia.

Pioneira da TV brasileira, a atriz Vida Alves morreu na noite desta terça-feira (3). Ela tinha 88 anos. A causa da morte foi falência múltipla dos órgãos.

A atriz estava internada no hospital Sancta Maggiore, em São Paulo, desde 28 de dezembro. A saúde dela começou a se complicar há um ano, quando se submeteu a uma cirurgia que não foi bem sucedida.

Mineira da cidade de Itanhandu, a atriz iniciou sua trajetória no rádio. No início da década de 1950 passou para as telenovelas e contracenou ao lado de outras grandes estrelas, incluindo Glória Menezes, Eva Wilma e Aracy Balabanian.

Ao longo de 70 anos de carreira, Vida também atuou no cinema, produziu e apresentou programas na TV e a escreveu novelas. A seguir, você acompanha cinco curiosidades dessa estrela que é ícone da história da TV no Brasil.

1º beijo da televisão brasileira

o-vida-570

 (/)

Ela foi a protagonista do primeiro beijo da TV brasileira. O “evento” ocorreu em Sua Vida me Pertence, de 1951, na emissora Tupi. A atriz fazia par romântico Walter Forster, também diretor da trama.

Como no início da TV as atrações eram transmitidas ao vivo, a cena emblemática não foi registrada. Em declarações ao longo da carreira, a atriz chegou a dizer que o pudor da época fez com que o fotógrafo negasse fazer um registro.

Em participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, em 2012, a atriz falou sobre os bastidores desse grande momento.

“O tal primeiro beijo não foi fotografado, não foi filmado, não foi desenhado. Só existe no meu papo, porque o ator já morreu. Então eu conto como quiser sobre o beijo […] Eu já tive que responder como foi isso (o beijo) até para o padre. Eu fui numa missa, o padre me chamou na frente e falou: ‘quero apresentar a mulher que deu o primeiro beijo da Tv. E foi um beijo técnico?’. Eu falei: ‘Padre, eu não estou no confessionário. Foi técnico’. Fiquei com vergonha pela primeira vez na vida.”

Vida Alves, no programa Encontro com Fátima Bernardes

1º beijo gay da televisão brasileira

Na década de 1960, Vida também foi pioneira ao protagonizar o primeiro beijo gay da TV brasileira. A trama era A Calúnia e sua parceira, a atriz Geórgia Gomide. De acordo com a veterana, o beijo ocorreu em 1964.

Em entrevista ao G1, em 2014, a atriz relembrou a gravação e repercussão da cena:

“As duas moças, eu e a Geórgia Gomide, (…) sentaram-se uma perto da outra. Deram as mãos e disseram que se amavam. Deram um beijo, também de uma forma mais romântica que erótica […] Era 1964. Já havia videotape. Já procurei essa fita, mas não achei. Eu me lembro dos comentários. Diziam que ‘estamos ficando extravagantes’. Mas não foram tão exagerados […] São coisas que existem, e se bem focadas e realizadas, contribuem para uma sociedade mais aberta e mais consciente.”

Vida Alves, em entrevista ao G1

Avó de Tiê

Vida Alves era avó da cantora e compositora Tiê Gasparinetti Biral, mais conhecida como Tiê. A neta comentou a morte da avó em sua página no Facebook:

“Dona Vida Alves fez a passagem. Minha amiga, minha avó, minha parceira, minha musa beijoqueira. 88 anos de muita luz, amor, arte e vida. Vire estrela e descanse em paz. Te amo pra sempre e vou sentir saudades todos os dias.”

Ao jornal Hora 1, uma das filhas de Vida, Taís, brincou com o legada da mãe na TV:

“Vida foi uma inovadora, uma beijoqueira. E eu ainda brincava: ‘Vidinha, ainda bem que você não deu o segundo beijo, porque do segundo beijo ninguém fala. Ela foi a primeira beijoqueira.”

Taís, filha de Vida, ao jornal Hora 1

Memória viva da TV

Junto com outros artistas, a atriz fundou em 1995 a Associação dos Pioneiros Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira, conhecida como Pró-TV.

A entidade, que tinha como objetivo preservar a memória da TV brasileira, foi presidida por Vida até setembro de 2016. A atriz também colecionava itens raros do período inicial da TV no Brasil e tinha um museu na própria casa onde morava.

A entidade divulgou nota lamentando a morte da atriz:

Biografia gratuita

Para quem ficou curioso em saber mais sobre a trajetória desse ícone brasileiro, sua trajetória é contada na biografia Vida Alves – Sem Medo de Viver, escrita por Nelson Natalino. A obra está disponível para download gratuito aqui.

o-vida-570-1

 (/Divulgação)