Porque continente africano ajudou Harry a superar morte de Diana

Seguindo os passos da mãe, o duque visitou Botsuana para prestar apoio a jovens com HIV

Durante sua tour pela África, ao lado de Meghan Markle e de seu filho Archie, príncipe Harry fez um discurso emocionante sobre como o continente serviu a ele como um escape para superar a morte de sua mãe, a princesa Diana.

“Vim para cá entre 1997 e 1998, logo depois que minha mãe morreu, por isso era um bom lugar para fugir de tudo. Agora, me sinto profundamente conectado a esse lugar”, afirmou à mídia presente no local.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

Na última quinta-feira (26), o duque de Sussex visitou Kasane Health Post, em Botsuana, para prestar suporte aos jovens infectados pelo vírus HIV e para falar sobre seu trabalho para acabar com o estigma em torno da doença. O príncipe segue os mesmos passos de sua mãe, que, em 1987, deu as mãos a um paciente com AIDS (na época, isso representava uma grande atitude de solidariedade e empatia, pois, devido a falta de informação e preconceito, muitos achavam que a doença era transmissível pelo toque e pela proximidade).

Lá, Harry conheceu uma jovem de 20 anos chamada Tlotlo Moilwa, que descobriu, há cerca de três anos, que é soropositiva. A mulher perdeu os pais pela mesma doença quando tinha apenas quatro anos de idade.

No Instagram, o duque compartilhou cliques do encontro com a jovem e do seu dia em Botsuana, onde também apoiou os esforços para conservação da vegetação e da vida selvagem do local, ao lado da instituição Elephants Wihtout Borders.

View this post on Instagram

Today, Prince Harry, The Duke of Sussex had a full and impactful day in Botswana. As Sentebale co-founding patron, HRH visited Kasane Health Post, Botswana, to show his support for young people affected by #HIV and the important work being done to eradicate the stigma and support the community at large. He also spent the afternoon working with @elephantswithoutborders to continue to support conservation efforts on the ground- (for more on that please see our previous post!) Both organisations are close to The Duke’s heart, having worked on conservation for many years and founding Sentebale over 13 years ago. As shared on the @sentebale account: In Kasane, 1 in 5 people aged between 15 and 49 live with HIV. The area, a transit point between four countries, is affected by a high HIV infection rate with transactional sex and unemployment driving risky behaviour. Sentebale expanded work in Botswana in 2016, over 47 clubs have been established around the country for young people coming to terms with living with #HIV, reaching over 1,250 adolescents monthly. In addition, the team has held 15 weeks of camp, attended by 1,115 campers. #RoyalVisitBostwana Photo©️PA images

A post shared by The Duke and Duchess of Sussex (@sussexroyal) on

O príncipe ainda comentou que estar em Botsuana, onde ele comprou duas das pedras para o anel de noivado de Meghan, deu a ele uma “sensação de escapismo e um verdadeiro senso de propósito”.

Leia também: “Estou aqui como mãe, mulher, negra e sua irmã”, disse Meghan às africanas

+ Bebê Archie faz rara aparição em evento real com Meghan e Harry

PODCAST – Como dialogar com as crianças e adolescentes sobre sexualidade

%d blogueiros gostam disto: