Clique e assine com até 75% de desconto

Harry e Meghan rompem oficialmente com tabloides ingleses

Carta oficial do casal cita 4 jornais com quem não terão mais relações

Por Da Redação Atualizado em 20 abr 2020, 12h38 - Publicado em 20 abr 2020, 12h35

Na véspera do aniversário da Rainha Elizabeth II, que na terça (21), completa 94 anos, a Família Real mostrou que estar de quarentena não a afasta das notícias. Sejam boas, sejam polêmicas.  

A imprensa britânica, ainda ressentida com o afastamento e mudança do príncipe Harry e Meghan Markle para os Estados Unidos, aproveitaram mais uma vez para criticar o jovem casal, que têm sido visto em Los Angeles passeando com os cachorros e também fazendo trabalho voluntário. É que o casal divulgou uma nota de rompimento com alguns jornais ingleses, seguindo firmes na guerra contra os tabloides britânicos.

“Quando o duque e a duquesa de Sussex estabelecem o próximo capítulo das suas vidas e não recebem mais nenhum apoio público, estamos a escrever para estabelecer uma nova política de relações com os media”, diz a nota. “O duque e a duquesa de Sussex não estarão envolvidos com estas publicações. Não haverá confirmação e compromisso zero”, avisam.

Meghan e Harry explicam qua não querem evitar críticas, mas “se trata de encerrar uma conversa pública ou censurar relatórios precisos. Os media têm todo o direito de denunciar e de ter uma opinião sobre o duque e a duquesa de Sussex, boa ou má. Mas não podem basear-se numa mentira. Eles também querem ser muito claros: esta não é, de forma alguma, uma política geral para todos os meios de comunicação”.

Obviamente, a nota não foi recebida em silêncio. Os veículos citados são: Daily Mail, Express,  Mirror e The Sun, que ignoraram e seguiram sua linha editorial agressiva contra os dois. A guerra contra os tabloides começou após a divulgação de uma carta pessoal de Meghan para seu pai e o processo contra o Daily Mirror terá andamento a partir dessa semana. A duquesa deve depor contra o jornal na sexta (24), em Los Angeles, via videoconferência.

Continua após a publicidade

Declaração sobre a cobertura da imprensa foi mal recebida  

A carta de rompimento veio junto com várias matérias criticando Harry por ter dito em um podcast no domingo (19) que as coisas no Reino Unido estão “melhores do alguns setores da mídia levam a acreditar”.  Súditos e leitores reagiram mal à frase do príncipe. Talvez para amenizar, ou por coincidência, o avó de Harry, príncipe Philip, de 98 anos, divulgou hoje (20) uma nota de apoio aos trabalhadores e voluntários que estão se dedicando a ajudar cidadãos britânicos durante a quarentena.

Mark Cuthbert/UK Press/Getty Images

Philip, que está com a saúde debilitada e faz parte do grupo de maior risco, está isolado em Windsor com a Rainha. Ele não é visto em público desde dezembro, quando esteve internado na véspera do Natal. O duque e a Rainha passarão o aniversário dela afastados da família, fazendo a comunicação via aplicativos como o Zoom. Segundo a nota que ele divulgou hoje, ele diz que quer “reconhecer o trabalho vital e urgente feito por tantos que estão enfrentando a pandemia, pelos médicos, cientistas e instituições de pesquisa, todos  trabalhando para nos proteger da covid-19“. 

“Em nome daqueles que estão seguros e em casa, eu gostaria de agradecer aos trabalhadores que garantem que a infraestrutura continua, aos funcionários e voluntários que trabalham pela distribuição de alimentos, que mantém as entregas do correio e os que garantem que o lixo também siga sendo recolhido”, ele escreveu.

Afastado de suas funções oficiais há 3 anos, príncipe Philip, de 98 anos, divulgou hoje uma nota de apoio aos trabalhadores e voluntários que estão se dedicando a ajudar cidadãos britânicos durante a quarentena. Philip, que está com a saúde debilitada e faz parte do grupo de maior risco, está isolado em Windsor com a Rainha. Ele não é visto em público desde dezembro, quando esteve internado na véspera do Natal. O duque e a Rainha passarão o aniversário dela afastados da família, fazendo a comunicação via aplicativos como o Zoom. Segundo a nota que ele divulgou hoje, ele diz que quer “reconhecer o trabalho vital e urgente feito por tantos que estão enfrentando a pandemia, pelos médicos, cientistas e instituições de pesquisa, todos  trabalhando para nos proteger da covid-19“. 

“Em nome daqueles que estão seguros e em casa, eu gostaria de agradecer aos trabalhadores que garantem que a infraestrutura continua, aos funcionários e voluntários que trabalham pela distribuição de alimentos, que mantém as entregas do correio e os que garantem que o lixo também siga sendo recolhido”, ele escreveu.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade