Elza Soares recebe homenagem tocante na estreia de ‘Amor&Sexo’

“É bela, mas nunca recatada. É do lar e da rua. É do mundo”, diz Fernanda Lima em programa que teve feminismo como tema principal.

“É bela, mas nunca recatada. É do lar e da rua. É de Vila Vintém. É do mundo. Ela sempre foi de onde quis ser. Aos 20,aos 30, aos 50, aos 60. Porque Elza não envelhece. Elza se apura”. Com esse discurso, Fernanda Lima apresentou a grande homenageada do programa Amor & Sexo, Elza Soares.

A cantora foi a convidada principal na noite de estreia da nova temporada da tração, na última quinta-feira (26). Em sua participação, a cantora dividiu o palco com a rapper Karol Conka cantando as músicas “Volta por Cima” e “Tombei” e conversou com Fernanda sobre racismo, homofobia, transfobia, machismo e liberdade de escolha da mulher. “É preciso batalhar, é preciso ter consciência de que hoje é tudo muito difícil, ainda mais para a mulher”, disse a carioca sobre o que é ser mulher atualmente.

Leia mais: Disco de Elza Soares fica ao lado de Beyoncé nos melhores do ano

Programa feminista

“Casou sem querer casar aos 12 (…) Amou muito e foi condenada em praça pública como a destruidora de ‘lares’. Negra assanhada, de mini-saia.” Ao traçar a mini-biografia de Elza, Fernanda lembrou ao público como a cantora sofreu por não ter tido liberdade de escolha e como causou furor no Brasil por expressar sua sexualidade em tempos que a mulher deveria permanecer calada.

Leia mais: “A mulher negra não é vista como um sujeito para ser amado

O feminismo foi o principal tema do programa de estreia da décima temporada do “Amor & Sexo”. Além de liberdade de escolha e sexualidade, a atração também explicou o que é lugar de fala, o conceito de minorias, representatividade e que existem diferentes vertentes do movimento feminista.

Leia mais: Machismo + racismo: 52% das mulheres brasileiras enfrentam duplo preconceito no mercado de trabalho

A violência contra a mulher também foi discutida e Fernanda lembrou a importância da denúncia de crimes via 180. “Acorda quem está dormindo. Coloca a boca no trombone. Precisamos de números. Eles geram estatísticas que provocam ações governamentais. Então chega de mimimi machista. Enquanto houver qualquer desigualdade entre homens e mulher, a luta não pode parar. Basta de violência contra a mulher e ponto final”.

Leia mais: #TambéméViolência: campanha lembra que agredir uma mulher vai além de violência física

Além de Elza, participaram do programa Gaby Amarantos, Djamila Ribeiro, Karol Conka, além de  Mariana Santos e Regina Navarro Lins, integrantes fixos do programa.

Leia mais: “Combater a violência contra a mulher é prioridade na minha vida”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s