CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Carolina Dieckmann vivendo uma mocinha atípica

Distante dos antigos personagens da atriz, Diana, a mocinha de Passione, é uma mulher que tem garra e que sabe revidar

Por Redação M de Mulher Atualizado em 20 jan 2020, 22h25 - Publicado em 17 jun 2010, 21h00

A bela relata a dificuldade e compor um 
personagem bem menos solar que ela
Foto: Alan Teixeira

Uma mocinha atípica. É assim que Carolina Dieckmann define Diana, sua personagem em Passione. A trama de Silvio de Abreu é um grande folhetim, mas a heroína não sofre como as tradicionais. Tem garra, sabe revidar. É do tipo tomou, levou. 

“Diana tem o caráter muito forte, tem muita personalidade. É uma mocinha atípica nesse sentido, porque é batalhadora pra caramba e apaixonada. É uma personagem que se entrega, que tem conflitos. Estou muito satisfeita, muito feliz”, afirma a atriz, que adora os embates com a vilã Clara (Mariana Ximenes). “Diana é a única pessoa que sabe do passado da Clara. Ela me mandou pra cadeia, gente! Depois que eu descubro que foi ela quem armou, dou um jeito de todo mundo ficar sabendo. Silvio de Abreu não economiza nas cenas fortes”, elogia a bela, de 31 anos. 

A respeito de uma declaração polêmica em seu microblog, em fevereiro, em que dizia que jornalista “é pobre e ponto”, Carolina, que agora vive uma estagiária de jornalismo, não quis se estender sobre o assunto e tratou logo de por um ponto final na questão. “Não chamei jornalista de pobre. Isso não passou de um mal entendido”, afirma.


ADEUS FIOS LOIROS

“Queria tirar um pouquinho da minha luz carioca. Fiz questão de mudar a cor do cabelo para ficar com a fisionomia menos solar. O carioca tem um jeito muito iluminado de levar a vida e eu sempre fiz personagens mais para o solar. Não que as paulistas não sejam solares, não é isso. Mas, para dar um contraste, quis fazer uma personagem menos pra fora. Diana é mais comedida do que eu. Ela é um tom abaixo da Carol. O cabelo castanho é para dar uma suavidade a ela. Das mocinhas que eu fiz, essa é a mais diferente de todas. Diana não é verão, eu diria mesmo que ela é outono.”

 

Continua após a publicidade

TÔ NEM AÍ

Vejo revista de celebridade, mas não acompanho a vida alheia. Tem uma diferença entre você consumir aquilo e você lidar com aquilo (fotos feitas por paparazzi). Quando eu vejo uma foto minha na revista feita por um paparazzi, reparo quando estou gorda, quando estou descabelada, mas é uma coisa leve pra mim. E não tenho esse peso das pessoas acompanharem a minha vida como celebridade, até porque eu não me vejo muito como uma, me encaro como artista. Mas entendo que as pessoas tenham essa curiosidade, que o público consuma isso porque é curioso mesmo ver alguém que aparece num veículo acompanhado por tanta gente. Só vejo revista no cabeleireiro, às vezes na casa da vizinha e, muitas vezes, nem reparo que sou eu que estou na foto (risos).”

 

Continua após a publicidade

TUDO SOB CONTROLE

Carolina Dieckmann vivendo uma mocinha atípica

Nos momentos livres, atriz não abre mão 
de paparicar o caçula, José, de 2 anos
Foto: Agnews

“Fiquei um tempo fora das novelas para poder adaptar o José (seu filho, de 2 anos, com o diretor Tiago Worcman) na escola. Tudo foi perfeito. Diria que Deus segurou um lápis e desenhou sem precisar apagar nada com a borracha. José foi superbem adaptado. Foi incrível poder acompanhar esse momento. No comecinho do meu trabalho, ele começou a perceber que eu não poderia estar tão presente em casa como no último ano. Mas está tudo sob controle, ele vai e volta da escola com o irmão (Davi, de 11 anos, filho da atriz com o ator Marcos Frota). Ele sai de casa às 7h e às 16h está de volta. Vou trabalhar com o coração leve, porque ele está bem, está feliz. Hoje sou uma mãe muito melhor, porque aprendi bastante com os erros que tive com o Davi. Também sou uma esposa melhor, porque aprendi com os erros que cometi com o Marquinhos. Mas sou uma ótima ex-mulher (risos).”


RASGAÇÃO DE SEDA

“É incrível trabalhar numa novela do Silvio de Abreu. É de uma rapidez! É o tipo de trama que se você perder dois capítulos, tem que correr atrás depois para recuperar o tempo perdido. Muita coisa acontece: num dia a pessoa está enganando todo mundo, no outro, já foi desmascarada, depois ela já dá outro golpe e volta por cima da cocada preta… As coisas não demoram para acontecer. Passione é instigante, animador… A novela tem uma energia que não parece de um folhetim tradicional. Novela tem um tempo para as coisas acontecerem. Essa não. É superágil!”

 

Continua após a publicidade

 
 
 
 
Continua após a publicidade

Publicidade