Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ana Paula Araújo: “O segredo é ter muita disciplina na vida e na carreira”

À frente do Jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, a jornalista Ana Paula Araújo conta o que faz para equilibrar vida profissional e familiar com muita leveza

Por Aline Gomiero Atualizado em 28 out 2016, 03h07 - Publicado em 14 jun 2016, 11h21

Ana Paula Araújo, 43 anos, acorda às 5h da manhã, de segunda à sexta-feira, para apresentar o Bom Dia Brasil. E o horário não é problema: “Já estou acostumada com essa rotina”. Há mais de dois anos à frente do telejornal, a apresentadora está em ótima fase. Ela comemora 20 anos de Rede Globo, sente-se realizada profissionalmente e afirma que espera por novos desafios. “Quero sempre coisas novas. Isso faz parte da profissão que eu escolhi”, contou em entrevista à CLAUDIA.

O segredo para ter uma vida organizada diante da correria do dia a dia é ter muita disciplina. “Eu tenho horário certinho para tudo. Acordo às 5h, tomo banho, me troco e corro para o trabalho. Chego lá 5h40. Tomo café da manhã, faço cabelo e maquiagem. Tenho que estar pronta às 7h30 para entrar no ar”. Otimizar o tempo no dia anterior também ajuda. “Deixo tudo separado. Roupa, lanche e, até mesmo, o chá preparado”, conta.

Reprodução / Instagram @appaaraujo
Reprodução / Instagram @appaaraujo

Família em primeiro lugar

Quando acaba o trabalho no final da manhã, a jornalista, que tem uma filha, Melissa, de 10 anos, vai direto para casa. Ela conta que aproveita o período da tarde para administrar a rotina doméstica e para ficar pertinho da pequena. “Tento ajudá-la no dever de casa, levar e buscar nas atividades extras, além de jantar com ela todos os dias”, assume a mãe-coruja.

Continua após a publicidade

João Cotta / Rede Globo - Divulgação
João Cotta / Rede Globo – Divulgação

20 anos de Rede Globo

Antes de dividir a bancada com o amigo Chico Pinheiro e apresentar o Jornal Nacional aos sábados, Ana Paula foi âncora do RJTV 1ª Edição. Foi com o telejornal, em 2011, que ela recebeu o Prêmio Emmy Internacional (considerado o Oscar da Televisão) pela cobertura da ocupação da polícia na comunidade do Complexo do Alemão, em 2010. “Sem dúvida, foi a cobertura mais importante da minha carreira. Foram dez horas ao vivo durante 4 dias, sem intervalos. Não fui ao banheiro, não conseguia nem comer. Bebia água, suco de laranja e achocolatado.” O momento mais difícil, entretanto, foi acompanhar de perto a prisão de Zeu, um dos responsáveis pela morte do seu grande amigo Tim Lopes, em 2002: “Fiquei muito emocionada ao ver o desfecho”. 

Planos para futuro

Feliz com o sucesso de sua carreira, a apresentadora se diz cada dia mais encantada com a profissão: “Eu me sinto realizada com tudo o que já conquistei, mas sei que ainda tenho muitos desafios pela frente”. E ela garante: “Trabalhos desafiadores ainda virão esse ano. Estamos vivendo um momento político muito particular. Cada dia uma novidade. Isso faz parte do jornalismo”.

Continua após a publicidade
Publicidade