Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Boa de bola: conheça os benefícios do futebol para o corpo da mulher

Você não suporta os movimentos repetitivos da academia? Saiba que o futebol pode ajudá-la a conquistar condicionamento físico, músculos definidos e diminuição da gordura corporal - tudo com muita diversão.

Por Melissa Vaz Atualizado em 15 jan 2020, 04h14 - Publicado em 10 jun 2014, 21h00
Boa de bola: conheça os benefícios do futebol para o corpo da mulher

A boa forma de Hope Solo, goleira da seleção norte-americana, é de dar inveja.
Fotos: Getty Images

A prática do esporte faz bem ao corpo

No futebol, os músculos mais trabalhados são, claro, os dos membros inferiores (coxas, panturrilha e tibial anterior); mas a região do core, que engloba tronco, costas, abdominais, pelve e lombar, também leva vantagem. Calçar as chuteiras ainda pode ajudá-la a conquistar glúteos definidos e melhorar o condicionamento físico, por conta dos exercícios de velocidade, resistência e funcionais.

Calorias gastas

Ao cumprir as tarefas do jogo de forma orientada, é possível queimar entre 450 a 600 calorias por hora, o que resulta em uma diminuição significativa da massa gorda, que costuma ser 10% superior à encontrada nos homens.

Mais pontos positivos

· Minimiza os efeitos da TPM
· Regula os sistemas imunológico e nervoso
· Melhora a concentração
· Diminui o estresse

Boa de bola: conheça os benefícios do futebol para o corpo da mulher

Maurine, do Brasil, e Heather Mitts, dos EUA, chamam atenção em campo.
Fotos: Getty Images

Melhor com musculação

Para um resultado completo, é necessário associar o esporte à prática de musculação. É importante cuidar dos membros superiores (através de supino, desenvolvimento, puxador costas, rosca direta e puley tríceps) e reservar um tempinho para os treinos de força dos membros inferiores.

Antes de tudo

Não deixe de passar por uma avaliação médica para evitar possíveis sequelas em um futuro próximo. Com o aval do médico em mãos, é necessário elaborar um plano de treinamento adequado ao seu biótipo – o ponto de partida é analisar os movimentos que a praticante realiza em campo para elaborar exercícios específicos. Depois disso, é só correr atrás da bola e gol!

Fontes consultadas

Fabinho Caçador, treinador das equipes de futebol feminino sub-15 e sub-17 do Sport Club Corinthians Paulista; Emily Lima, treinadora da seleção brasileira de futebol sub-17; e Marcelo Rossetti, preparador físico de futebol feminino do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP).

Continua após a publicidade
Publicidade