CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Armários comprados em grandes magazines garantem aproveitamento total de área enxuta

Você verá que aqui não há móveis planejados, que costumam ser os itens mais caros do orçamento

Por Minha Casa Digital Atualizado em 19 fev 2020, 14h57 - Publicado em 3 mar 2015, 11h43

O que a gente mais quer de uma cozinha nova é uma área prática, cheia de armários, linda e que não pese no bolso, certo? Pois essa missão, que pode parecer impossível, foi executada com sucesso pelo arquiteto Neto Porpino, paraense radicado em São Paulo, a pedido de Minha Casa. O pulo do gato está no mobiliário: o ambiente é inteiramente preenchido por peças branquinhas compradas prontas – facilmente encontradas em lojas populares. “Há modelos bem bonitos e versáteis no mercado”, diz Neto. Outra surpresa é o balcão americano, feito com duas portas comuns cortadas sob medida, nas quais se prende um armário – também comprado pronto, claro. A base neutra é temperada com doses generosas de ousadia, principalmente, nas paredes coloridas, que passam longe do feijão com arroz. E tudo se completa com a iluminação, que dá aconchego e facilita os trabalhos no dia a dia.

Arco-íris intenso e equilibrado

❚ A parede bordô foi o ponto de partida. Em contraste, Neto tingiu a superfíce à esquerda de um verde-escuro puxado para o turquesa.

❚ A partir daí, foram escolhidas as cores dos azulejos do mosaico – o bordô se prolonga em vermelhos e laranjas, enquanto o verde-escuro se desdobra em outras tonalidades frias.

Beleza e economia podem andar juntas!

❚ Provando que não é preciso gastar fortunas com planejados ou marcenaria (o total saiu por menos de R$ 3 mil!), Neto especificou somente módulos prontos – e o visual ficou muito semelhante ao de uma cozinha feita sob medida. O segredo está na trena: é preciso calcular com precisão a área disponível e montar os conjuntos. “Optei por uma linha moderna, branca e com puxadores embutidos”, diz. As peças vêm de fábrica com tampo de MDF preto, que foram substituídos por granito.

❚ Sobre a pia, armários aéreos baixos, alinhados pela altura da geladeira, deixam tudo à mão e garantem um resultado harmônico – reparou como o pé-direito até parece mais alto? 

❚ Nem mesmo o nicho aberto que abriga o forno escapa da proposta: ele também é um armário – as portas foram retiradas e uma das prateleiras se deslocou para que pudesse receber o equipamento, que, aliás, é outra boa sacada. Ele conjuga as funções de forno elétrico e micro-ondas. O preço é mais salgado, sim, porém vale a pena pagar pelos preciosos centímetros poupados na planta.

Continua após a publicidade

❚ Fugir da mesmice é regra para Neto, por isso, nada de acabamentos convencionais! Painéis de azulejos em 15 cores diferentes são as estrelas. Ao todo, são 33 placas na parede junto à pia e 60 na faixa atrás do cooktop.

❚ A iluminação foi trabalhada pensando em funcionalidade e conforto: além da luminária central embutida, há LEDs fixados na parte inferior dos armários aéreos clareando a região da pia, spots com dicroicas acima do balcão de refeições e direcionados para os quadrinhos, e arandelas com luz indireta na parede da sala.

5,40 m² sem aperto

❚ Completamente aberto em um dos lados, o ambiente ganhou uma bancada de refeições à moda americana (1) na fronteira com a sala. Para a passagem, ficaram livres 1,38 m.

❚ A bancada de granito em L aproveitou ao máximo a metragem da cozinha. E a opção por um cooktop no lugar de um fogão tradicional liberou ainda mais espaço para o mobiliário.

Um curinga bem-bolado

❚ O balcão foi feito com duas portas, recortadas e montadas por um marceneiro. A parte que tem função de apoio vai presa no chão. Para isso,  é preciso fazer uma furação no piso, aparafusar ali um pino-guia e prever um furo de mesmo diâmetro na base da chapa de madeira, onde a ferragem se encaixa. O acabamento laminado em tom amadeirado acompanha o padrão do piso, um porcelanato que imita  o material natural.

❚ Como a ordem é aproveitar, o vão sob  a bancada foi ocupado por um armário. A peça (originalmente um módulo aéreo) vai aparafusada de ponta-cabeça, para que os puxadores fiquem longe da vista. Note que, como a abertura se volta para a sala, Neto especificou um afastamento de 30 cm para acomodar as pernas de quem se senta nas banquetas. Atenção ainda ao lado que fica aparente na cozinha: o fundo do móvel não vem com acabamento, por isso,  foi fixada ali uma placa  com laminado branco.

❚ Para que a integração seja impecável, não vale enxergar a área de serviço. A porta de vidro jateado é responsável pela discrição.

Continua após a publicidade

Publicidade