Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Apartamento de 48 m² tem pitadas de amarelo na decoração

Espaços integrados, funcionalidade e visual contemporâneo são alguns dos destaques deste apê

Por Texto: Isis Gabriel Reportagem visual: Juliana Corvacho Fotos: Martín Gurfein - Atualizado em 19 fev 2020, 10h31 - Publicado em 11 jul 2018, 19h31
Martín Gurfein/Minha Casa

Atraída pela possibilidade de investir em um imóvel no centro de São Paulo, que vem passando por um processo de revitalização, a comerciante Berenice Pacheco de Couto (foto) decidiu arrematar um apê de 48 m² na região. Uma reforma o deixou pronto para receber inquilinos que buscam viver a metrópole em sua intensidade, com um estilo cosmopolita evidenciado pelas linhas retas do mobiliário e pelo cinza dos revestimentos. “O amarelo veio para trazer alegria”, aponta Berenice, responsável por todas as decisões do projeto, executado em duas etapas – a primeira, em que foram feitas as alterações na planta, contou com a ajuda da arquiteta Simone Neves; na segunda, entrou em cena a arquiteta Carol Rivelli.

Sala elegante e espaçosa

Martín Gurfein/Minha Casa

A viga aparente é resquício de uma das paredes que veio abaixo para que a sala ganhasse metragem. “Não podíamos tirá-la, e não dava para escondê-la com forro de gesso, pois isso deixaria o pé-direito baixo. Assim, decidimos destacá-la”, conta Berenice. “Para tanto, a estrutura, a exemplo da superfície atrás do sofá, foi revestida de cimento queimado, dando um toque urbano e industrial”, completa a arquiteta Carol.

Martín Gurfein/Minha Casa

Em vez de balcão americano entre cozinha e sala, a proprietária optou por uma estante do chão ao teto – com nichos vazados, ela mantém a integração e, ao mesmo tempo, oferece espaço de armazenamento. De quebra, o acabamento amarelo (da linha Eucafibra Laca AD, da Eucatex) acende a decoração.

Continua após a publicidade
Martín Gurfein/Minha Casa

“A posição da mesa de refeições e o fato de ela ser fixa favorecem a circulação”, diz Carol. Sobre ela, um par de pendentes (Argos, de alumínio. Sergon, R$ 110,90 cada) valoriza o trecho do jantar.

Questão de praticidade

Os acabamentos em amarelo e em padrão amadeirado dos armários superiores repetem o esquema da estante, mantendo a unidade visual. A dobradinha ganha a companhia do cinza (cor Canela, da linha Unicores Connection Chess, da Arauco) no gabinete da pia.

Embutida em um dos módulos aéreos, a fita de LED oferece luz extra na bancada, mas também destaca o revestimento cerâmico com padrão geométrico (Creative Dama Gris, 33,5 x 60 cm, da Eliane), escolhido a dedo pela proprietária. “Acho que vale a pena investir em um belo acabamento para essa área, ainda mais quando é visível da sala, como neste caso”, diz a arquiteta Carol.

Continua após a publicidade

Na pia, o granito são gabriel é uma boa opção para evitar a preocupação com manchas. Outra solução para o dia a dia é criar um degrau entre o cooktop e a cuba – 2 cm são suficientes para que a água não invada a área dos queimadores, garante Carol.

Confortável e funcional

Martín Gurfein/Minha Casa

Um acabamento amadeirado (padrão Nogal Sevilha, da linha Naturale, da Guararapes) foi eleito para as cabeceiras que avançam além dos limites das camas – no quarto infantil, a janela impediu que a peça de marcenaria ficasse da mesma altura que na suíte (1,10 m).

Martín Gurfein/Minha Casa

Sobre a tinta em tom de cinza nas paredes (acrílica na cor Papel Picado, ref. B148, da Suvinil) Berenice aplicou o adesivo que havia comprado há algum tempo.

Continua após a publicidade
Martín Gurfein/Minha Casa

No banheiro, as tonalidades neutras garantem o visual sóbrio e elegante. Os revestimentos brancos originais foram mantidos como pano de fundo da nova bancada da pia, de granito são gabriel, que ganha sofisticação com saia e frontão mais altos. Este último se prolonga até o boxe, acompanhando uma miniprateleira feita da mesma pedra. “É um recurso que dá a impressão de uma bancada maior e oferece espaço de apoio para pequenos objetos”, ensina Carol.

Menos é mais

Alice Campoy/Minha Casa

Assim que comprou o imóvel, Berenice já imaginou uma alteração na planta: a conversão dos três quartos originais em dois, a fim de valorizar a área de convivência. Após a eliminação de um dos dormitórios (1) e de um corredor (2), a suíte de casal ganhou um closet (3), e asala (4) ficou mais espaçosa.

Publicidade