Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Além da TV, filme mostra o lado de Hebe Camargo que pouca gente conhece

O filme nos relembra o carisma inconfundível e conta alguns dos desafios vividos pela "Rainha da televisão brasileira"

Por Da Redação - Atualizado em 15 jan 2020, 22h46 - Publicado em 8 mar 2019, 15h26

Nesta sexta-feira (8), dia em que Hebe Camargo completaria 90 anos, foi lançado na casa da apresentadora, em São Paulo, o trailer do filme “Hebe – A Estrela do Brasil“. Justamente no Dia Internacional da Mulher, celebramos a vida de uma inconfundível personagem da cultura brasileira, com o seu jeito único, carismático e repleto de fortes posicionamentos.

O filme se passa na década de 1980, um período importante na vida da apresentadora, interpretada pela atriz Andréa Beltrão, quando ela enfrentou o machismo na televisão, um conturbado relacionamento com o marido e alguns desgastes políticos. Em plena Ditadura Militar, Hebe confrontou a censura do regime e criticou poderosos políticos por diversas vezes durante seu programa no SBT. Suas contundentes opiniões geravam um contraste com o seu jeito doce de entrevistar seus convidados.

Com um roteiro escrito pela renomada Carolina Kotscho, o recorte de quase uma década da vida de Hebe foi um desafio para Andréa, que incorporou muito bem as características inconfundíveis da apresentadora, dos brilhantes fios loiros aos intensos olhares da dama da televisão para as câmeras. “Eu ouvi a voz da Hebe durante dois anos no YouTube para aprender e me aproximar dela. Enquanto eu fazia a filmagem, eu sabia que ia morrer de saudades de cada momento”, disse a atriz.

Andréa Beltrão durante coletiva do filme na casa de Hebe Camargo. Nicolas Calligaro/Divulgação

Apesar de todo o glamour e riqueza, Hebe era uma pessoa, de certa forma, acessível e circulava com naturalidade por vários meios sociais. Tratava a todos com a mesma simplicidade que conversava com um chefe de Estado, ostentando o mais contagiante e receptividade sorriso. No seu closet, a artista tinha incontáveis peças de roupas, joias e sapatos. De um caríssimo Louis Vuitton a um Arezzo.

Para a coletiva de imprensa sobre o filme, na casa da apresentadora, no bairro do Morumbi, em São Paulo, foi montado um expositor todo revestido com animal print de onça, glitter e muita luz amarela. Nele, as peças originais usadas pela artista ao longo da carreira na televisão. Não dá para lembrar de Hebe Camargo sem pensar em muito brilho, não é?

Acessórios originais de Hebe Camargo. Felipe Maciel/Divulgação

O gosto particularmente chamativo e com muita presença foram preservados durante o longa, mas o que chama a atenção, apenas pelo trailer, é a atemporalidade dos discursos da apresentadora e a facilidade que ela tinha de falar com todos os públicos. “Esse filme é muito atual. Discursos de 1980 que carregam uma força importante para os dias de hoje. Hebe lutou por um espaço de debate livre. Ela deixou de ser apenas uma apresentadora, para dar voz para uma mulher”, comentou a roteirista.

Com direção de Maurício Farias e produção de Claudio Pessutti, sobrinho e fiel escudeiro de Hebe, o filme estreia no dia 15 de agosto nos cinemas brasileiros. Enquanto essa biografia imperdível não sai, dá para assistir ao trailer e relembrar da incomparável rainha da TV brasileira.

Continua após a publicidade
Publicidade