Morre aos 88 anos Toni Morrison, escritora e ganhadora do Nobel

A autora se consagrou por falar sobre a condição dos negros nos Estados Unidos e foi responsável pelo cresimento da literatura afro-americana.

Vencedora do prêmio Nobel de literatura e do Pulitzer, entre outros, a escritora norte-americana Toni Morrison morreu na última segunda-feira (5), aos 88 anos, no hospital Montefiore Medical Center, em Nova York. Ela escreveu obras como “O Olho Mais Azul” e “Amada“, que virou filme em 1998, estrelado por Oprah Winfrey e Danny Glover.

Nascida em Ohio, Toni Morrison estudou na universidade Howard, uma das tradicionais universidades negras dos Estados Unidos. Lá ela tomou contato com muitos intelectuais negros, enquando fazia sua graduação em letras. Depois, ela fez um mestrado em Artes, na universidade Cornell, uma das mais conceituadas do país.

Ela iniciou sua carreira trabalhando como editora de livros na L. W. Singer, uma divisão da gigante Random House. Foi na Random House que ela se tornou a primeira mulher negra a conquistar o cargo de editora sênior no departamento de ficção. Ela teve um papel importantíssimo na publicação e divulgação de escritores africanos e afro-americanos nos Estados Unidos. Foi sob a liderança dela que autoras como Angela Davis e Gayl Jones foram descobertas.

Ela mesma só foi publicar o primeiro livro, “O Olho Mais Azul”, em 1970, quando já tinha 39 anos. Seu livro mais popular, “Amada”, foi publicado em 1987 e virou um best seller, ficando na lista de mais vendidos por 25 semanas. O livro é inspirado na história real de Margaret Garner, uma mulher escravizada que, ao ser perseguida por caçadores de escravos, matou a filha de dois anos e tentou se matar, mas não conseguiu. O livro fala sobre o bebê voltando como um fantasma, que assombra a mãe e a família. Essa obra é seguida por mais dois livros,: “Jazz” e “Paraíso”.

Depois da publicação de “Amada”, Toni Morrison recebeu os prêmios Pulitzer e Nobel de literatura, além da Medalha Presidencial da Liberdade, que foi concedida a ela por Barack Obama.