CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS
Rachel Jordan Referência no mercado de consultoria de imagem, Rachel Jordan é especialista em comportamento profissional e atua como consultora, mentora e palestrante para empresas e pessoas que desejam desenvolver suas habilidades emocionais e alavancar a carreira. Co-autora do Livro À Sua Moda – 4Talks, Rachel também ministra cursos e workshops na área

As regras de etiqueta que são essenciais em tempos de pandemia

Comportamentos e atitudes que antes eram considerados normais, hoje são sinônimo de falta de educação e desrespeito com o outro

Por Rachel Jordan Atualizado em 18 dez 2020, 12h58 - Publicado em 19 dez 2020, 09h00

Criadas com a proposta de estabelecer normas de comportamento que permitissem uma convivência harmoniosa entre grupos sociais, as regras de etiqueta evoluíram ao longo dos séculos e nunca se mostraram tão necessárias no mundo contemporâneo como neste momento em que estamos atravessando.

Desde que a pandemia de Covid-19 se espalhou pelo Planeta no início deste ano, fomos obrigados a rever padrões e atitudes que até então faziam parte de nossa etiqueta social. Por uma questão de saúde coletiva, novas práticas foram adotadas e outras precisaram ser banidas, mesmo que temporariamente, do nosso cotidiano em nome do bem-estar coletivo.

Comportamentos e atitudes que antes eram considerados normais, hoje são sinônimo de falta de educação e desrespeito com o outro. Não usar máscara, não manter o distanciamento social e não usar álcool em gel para higiene das mãos em espaços de convivência coletiva, por exemplo, significam um profundo desrespeito com o outro. Praticamente revela o que você pensa e como se comporta diante da maior crise sanitária que já vivemos. Saiba que, nesses casos, as regras de etiqueta social passaram a desempenhar um papel relevante e se tornaram aliadas no combate à Covid-19.

É fato que muitas pessoas ainda encaram etiqueta social como algo incômodo e sem sentido, às vezes são tão avessas que não sabem sequer como e onde usá-la. Mas não é bem assim. As normas foram criadas para facilitar e não para complicar a vida de ninguém. E no decorrer da história passaram por uma série de transformações para acompanhar as mudanças sociais. A rigidez de antes deu lugar a normais mais flexíveis e de acordo com a realidade que vivemos. Atualmente, adotar muitas dessas práticas é uma questão de bom-senso e até de sobrevivência frente à pandemia.

E essas novas regras valem tanto para os contatos presenciais como virtuais. Afinal, gentileza e educação devem andar lado a lado e estar presentes em qualquer ambiente. Viagens de avião, restaurantes, lojas, salões e elevadores fazem parte de uma extensa lista de situações que foram revistas e que precisamos estar atentas para evitar constrangimentos para nós e para o outro.

Um bom exemplo do que estamos tratando nesse artigo se dá até mesmo no convívio com amigos e familiares. Beijos e abraços que sempre foram demonstrações de afeto para com o outro, agora podem ser interpretados de outra forma dependendo da situação. Ao cumprimentar um amigo, evite se aproximar demais, ou abraçá-lo sem que haja alguma sinalização positiva. Talvez você nem se dê conta, mas pode criar uma situação embaraçosa se insistir em dar um abraço ou cumprimentá-lo com beijos.

Muitas pessoas viveram situações dolorosas, com perdas no núcleo familiar, e podem sentir medo de manter um contato mais próximo por temerem se contaminar. E isso não tem nada a ver com o sentimento que elas têm por você, mas de uma situação totalmente atípica pela qual todos nós estamos passando.

Acredito que algumas das regras sociais que foram adotadas em função da pandemia, vão permanecer. É que muitas delas vieram para somar e para nos dar mais segurança e proteção.

Continua após a publicidade

Abaixo algumas dicas de como se comportar socialmente diante de algumas situações coletivas, sejam sociais ou profissionais.

Elevadores – Em prédios residenciais, a regra é que apenas pessoas do mesmo núcleo familiar ocupem o elevador por vez. Se uma pessoa já estiver no elevador, se possível, permita que ela suba sozinha. Em prédios comerciais, mantenha a calma quando a porta do elevador se abrir, aguarde, espere as pessoas saírem. Se o elevador já estiver com a lotação permitida pelas novas regras, não tente entrar por considerar que o elevador ainda está vazio. Higienize as mãos se tocar nos botões de comando.

Aviões – Evite se aglomerar antes de entrar no avião. Respeite o distanciamento de um metro na fila de embarque. As companhias aéreas estabeleceram novas regras dentro das aeronaves. Respeite, aguarde sua vez de depositar sua bagagem e de ocupar seu lugar. Ao desembarcar cumpra as orientações da tripulação, só saia do seu assento quando sua fileira for chamada para o desembarque.

Restaurantes – O comportamento mais adequado à mesa é só retirar a máscara quando estiver bebendo ou comendo. Tenha sempre um saquinho plástico ou de papel para guardar a máscara enquanto faz a sua refeição. Guarde-a na bolsa e evite deixá-la em cima da mesa.

Salas de espera – Chegue na hora marcada para a sua consulta ou para outros compromissos, dessa forma você não atrasa o horário do próximo a ser atendido fazendo com que a pessoa fique exposta durante muito tempo num local pequeno e pouco arejado. A regra vale também para os profissionais. Sejam pontuais em seus atendimentos. É um sinal de respeito e cuidado com a saúde do outro.

Reuniões e aulas online – Muitas pessoas têm mantido a câmera desligada durante reuniões de trabalho e aulas online. A não ser em situações excepcionais, esse comportamento pode ser visto como falta de educação e de respeito com o outro. Manter a câmera ligada é sinônimo de atenção e de empatia, demonstra seu grau de interesse. Você não precisa estar super arrumada, mas manter uma boa aparência é essencial.

Mensagens – Primeiramente, evite enviar mensagens em horários inadequados. As pessoas estão sobrecarregadas, acumulando funções. Procure respeitar o horário comercial, mas se for necessário o contato em horários avançados, seja educado ao iniciar e finalizar a mensagem. Mesmo numa mensagem de amigos, não exagere, respeite o outro. As pessoas andam se esquecendo que mesmo no ambiente virtual as regras de boa educação continuam valendo.

Continua após a publicidade

Publicidade