Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Tudo o que você precisa saber para escolher e comprar o colchão perfeito

Casal ou solteiro? Molas ou espuma? Te ajudamos a resolver essas e outras dúvidas que você pode ter na hora de comprar o colchão.

Por Nathalia Giannetti - Atualizado em 15 jan 2020, 12h38 - Publicado em 23 jul 2019, 15h38

Para ter uma boa noite de sono, você deve ter um colchão no qual você se sente confortável. Mas encontrar o colchão ideal pode não ser tão fácil assim, uma vez que cada pessoa possui uma preferência diferente.

Por isso, é importante entender o que significa cada palavra das descrições do produto e também testá-lo.

Mola x Espuma

Na hora de comprar o colchão, a primeira coisa que você deve notar é que existem dois tipos de estrutura: mola e espuma. Este último é mais indicado para solteiros, que normalmente dormem sozinhos, ou para parceiros com altura e peso parecidos. Já os colchões de mola são perfeitos para casais de mesmo biotipo.

Essa recomendação existe porque, enquanto a espuma possui uma densidade fixa, podendo afundar mais ou menos de acordo com o peso da pessoa, as molas têm resistência progressiva e conseguem equilibrar melhor pesos diferentes.

No entanto, o que realmente importa no final para a escolha, é a sua preferência e histórico pessoal. “Se passei meus últimos 10 anos dormindo em um colchão de molas, terei uma certa dificuldade de adaptação superável ou em graus mais elevados não superável, por isso é recomendável sempre visitarem uma loja física e testar os modelos”, explica Ricardo Pinto, diretor de marketing da fabricadora de colchões Probel

Tipos de colchão de molas

Nem todos os colchões de molas são iguais! Para atender as diversas necessidades dos clientes, as molas podem ser arranjadas de várias maneiras diferentes.

Molas Bonnel Prolastic: com molas interligadas e em formato bicônico, o molejo (conjunto de molas) bonnel alia a flexibilidade de suas molas com a firmeza da superfície. Tudo isso graças ao seu processo de resistência progressiva, no qual quanto maior for a pressão no colchão, melhor será o seu desempenho para se adequar ao peso.

Molas Bonnel Prolastic Light: a sua única diferença para as molas Bonnel comuns é a quantidade de peso suportada. O sistema Light, com 141 molas por metro quadrado, suporta 220 kg, já o outro, de 164 molas por metro quadrado, aguenta até 430 kg

Continua após a publicidade

Molas pocket ou ensacadas individualmente:  como o próprio nome já diz, nesse tipo de molejo, as molas são revestidas individualmente e, portanto, não há contato entre elas. Uma de suas principais vantagens é o fato do movimento feito em um local do colchão não ser transmitido para outros pontos. Além disso, o ensacamento faz com que não haja nenhum ruído característico do contato entre as molas.

Molas de fio continuo e entrelaçado: nesse caso, os fios são entrelaçados diagonalmente ao longo do colchão para formar pontos de sustentação, o que oferece maior resistência e durabilidade. Essas características fazem com que esse tipo de colchão seja um dos favoritos das redes hoteleiras.

Molas Miracoil: construído por meio de um fio contínuo de arame, esse tipo de molejo é considerado o mais inovador até o momento, distribuindo perfeitamente peso no colchão proporcionando o máximo de conforto.

Molas LFK: de formato cônico, as molas LFK são projetadas para se movimentarem independentemente umas das outras, algo que favorece uma melhor distribuição do corpo no colchão, ao mesmo tempo em que garante a firmeza da superfície.

Molas Superlastic: constituindo um molejo de fio contínuo e de formato bicônico, as molas Superlastic oferecem uma resistência progressiva mais eficiente que a das molas Bonnel, sendo também extremamente resistentes e de alta durabilidade.

Molas Verticoil: com maior número de molas por metro quadrado do que o molejo Bonnel, esse sistema possui uma grande superfície de contato, que, devido a sua flexibilidade, se adapta perfeitamente aos contornos de cada pessoa, ao mesmo tempo que também oferece o máximo de conforto e durabilidade.

Tipos de colchão de espumas

Assim como acontece com as molas, a espuma que preenche o colchão também pode variar.

Espuma viscoelástica: desenvolvida pela tecnologia da NASA, a elasticidade da espuma faz com que o colchão se adapte de acordo com o peso colocado, proporcionado sempre um ideal para coluna e pescoço, e depois volte a sua forma original sem dificuldade.

Continua após a publicidade

Espuma viscoelástica gel: diferente da espuma Viscoelástica comum, ela possui cristais de gel termorreguladores, que propiciam a dissipação de calor e mantém estável a temperatura do colchão.

Látex: além de ser bastante adaptável aos contornos do corpo, o látex é ecológico e apresenta alta durabilidade. Sua composição de furos, também permite que o ar circule no colchão, fazendo com que ele esteja sempre com uma temperatura agradável.

Espuma High Resilience (HR): a espuma HR tem grande capacidade elástica e consegue distribuir o peso do corpo ao longo de sua superfície da melhor maneira possível, voltando a sua forma original rapidamente.

Espuma Soft e Hiper Soft: caracterizadas pelo toque macio, as espumas do tipo Soft são pouco resistentes à compressão. Portanto, elas aguentam menos peso e “afundam” a pessoa que deitar no colchão.

Espuma convencional: composta por um material sintético e flexível, a espuma convencional é bastante resistente ao peso aplicado e dificilmente sofrerá deformações permanentes.

Densidade

Quando falamos da resistência e adaptação do colchão ao peso, devemos lembrar que tudo isso está relacionado a sua densidade. Conforme define Alexandre Prates Pereira, presidente da Associação Brasileira da Industria de Colchões (ABICOL), “quanto maior a densidade do colchão, maior é a firmeza e sustentação do produto, que aguenta um peso maior e afunda menos com o peso acomodado sobre ele”.

O valor da densidade é obtido pelo cálculo da quantidade de matéria prima utilizada por metro quadrado de espuma, variando de D18 até D56. Cada uma dessas densidades obtidas é adequada para certa relação de peso e altura.

Vale lembrar que esta é a indicação feita pelo INMETRO e que não há problema em escolher uma densidade um pouco maior do que aquela indicada para o seu perfil. O contrário, entretanto, nunca é indicado”, explica o porta-voz da Probel, que também apresenta um resumo das densidades ideais para cada biotipo:

Continua após a publicidade

D18: ideal para recém-nascidos e crianças até 3 anos;

D23: pessoas de até 60 kg;

D28: pessoas de até 80 kg;

D33: pessoas de até 100 kg;

D45: pessoas de até 150 kg.

Camadas

Colchões não são feitos apenas de molas ou espumas! O número de camadas costuma variar, mas, em geral, todo colchão tem:

1. Matelassê: primeira camada de conforto, responsável pela estética (cor e toque) do colchão

2. Estofamento: segunda cama de conforto, constituída por espuma.  

Continua após a publicidade

3 . Suporte: base do colchão, que pode ser constituída por molas ou espuma.

As camadas de conforto são essenciais para acomodar o corpo na estrutura do colchão. Sem elas, teríamos contato direto com a superfície rígida do suporte, experiência nada agradável e perfeita para acordar com dores nas costas. Então dificilmente você terá um colchão sem matelassê e estofamento. 

Mas na hora de ir às compras, é provável que você veja colchões com mais camadas de conforto do que as duas “obrigatórias”. Isso acontece porque quanto maior for o número de camadas, mais confortável será o colchão, algo que acaba agregando no valor do produto.

Outra coisa que também muda bastante é o modo como as camadas de conforto são ajeitadas no colchão. Confira os modos mais comuns de encontrar essas camadas extras:

  • Pillow Top: costurada separadamente e localizada na parte superior externa do colchão, cobrindo-o como se fosse um  travesseiro.
  • Euro Pillow: também é uma camada de conforto externa, mas com acabamento melhor e costura alinhada ao resto do colchão.
  • Euro Top: a camada de conforto externa está completamente incorporada ao colchão, sendo possível enxergar a costura.
  • Euro Top Duplo: a camada de conforto está incorporada nas partes superior e inferior do colchão, possibilitando o revezamento dos lados.
  • Euro In: a camada de conforto é interna, podendo estar acoplada ao matelassê.
  • Duplo Euro In: camada interna presente nos dois lados do colchão.

Tamanho

Como não existe um padrão exato para os tamanhos de colchão, eles costumam variar um pouco. Mas segundo o presidente da ABICOL os tamanhos não devem fugir muito das medidas abaixo:             

Solteiro:  0,78 cm x 1,88 cm e 0,96 cm x 1,88 cm

Viúvo: 1,20 cm x 2,00 cm

Casal: 1,38 cm x 1,88 cm

Continua após a publicidade

Queen: 1,58 cm x 1,98 cm

King: 1,78 cm x 1,98 cm

Super King: 1,93 cm x 2,03 cm

Quando trocar o colchão?

Ao longo do tempo, o colchão acumula poeira, impurezas, suor e deformações. Por isso, é recomendado trocar o seu colchão a cada cinco ou seis anos, período que pode variar um pouco conforme as ações de quem o usa. 

Como prolongar a durabilidade do colchão

  • Escolha o suporte adequado para o seu biotipo
  • Faça o rodízio de lados: a cada 15 ou 30 dias, gire o colchão, deixando a ponta em que você deita a cabeça para o repouso dos pés e vice-versa. Se ele for do tipo “dupla-face”, também troque o lado em que você deita pelo menos uma vez por mês
  • Deixe o colchão respirar em um ambiente arejado, tirando lençóis e qualquer outra cobertura de vez em quando
  • Não sente nas bordas! Isso causa deformações
  • Evite expô-lo excessivamente ao sol e temperaturas altas

Testar antes de comprar

Agora que você já sabe tudo que precisa pra escolher o seu colchão, está na hora de comprá-lo. Mas antes de tomar qualquer decisão, é importante que você teste o produto. Então, mesmo que no final você prefira comprar pela internet, vá em uma loja física!

Para testar o colchão, você deve deitar-se nas posições que costuma ficar para dormir. Faça isso durante o tempo que for necessário, mas não abuse! É estimado que 15 minutos seja “uma faixa de tempo indicada para que o corpo possa relaxar e ser recebido pela superfície do produto” explica o diretor de marketing da Probel.

 

    Publicidade