Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Planeja comprar um imóvel na planta? Confira dicas para não se dar mal

Da análise da planta às letras miúdas no contrato, especialistas lhe ajudam a fazer um bom negócio.

Por Raquel Drehmer - Atualizado em 16 jan 2020, 05h59 - Publicado em 3 nov 2018, 07h00

Conseguir um financiamento mais longo, valores mais baixos e a possibilidade de escolher uma unidade excelente para o seu gosto (em caso de apartamento ou casa em condomínio) são as principais vantagens de comprar um imóvel na planta. Mas a empolgação com estes benefícios não podem desviar sua atenção de eventuais problemas que possam surgir e se transformar em uma enorme dor de cabeça.

Conversamos com Lucas Araújo, superintendente de marketing e inteligência de mercado, e com a engenheira civil Regina Jungmann para saber quais cuidados devem ser tomados antes de se decidir pela compra de um imóvel na planta para fazer uma negociação segura e vantajosa. Vem saber mais!

Analise a planta do imóvel

Mas analise mesmo. Estude as medidas, compare-as com as do lugar onde você more atualmente. Tenha certeza de que os tamanhos dos cômodos serão suficientes para você e para comportar os móveis que vão migrar para a casa nova.

Questione como será o acompanhamento das obras

Hoje em dia é muito comum as incorporadoras usarem sites próprios e redes sociais para compartilhar o status das obras que realizam. Verifique se isso ocorrerá no imóvel que você pretende comprar. Caso não haja esse planejamento, pode ficar com uma pulga atrás da orelha. “A transparência é fundamental para os compradores se sentirem confiantes. Se não houver intenção de atrasar a obra, não tem por que escondê-la”, pondera Regina.

Continua após a publicidade

Guarde os materiais de apoio da venda do imóvel

Folhetos, folders, fotos e vídeos são provas de como é a promessa de imóvel – por isso, guarde tudo que puder. Lucas explica por quê: “Tenha em mente que é muito importante guardar esses materiais até a entrega do projeto, já que eles serão a base de comparação entre o que foi prometido e o que foi entregue.”

Estude o custo-benefício

Aqui a ideia é avaliar uma série de fatores, como localização, tamanho do imóvel, prazo de entrega, se será entregue com acabamentos ou não. Se algum item não for vantajoso para o seu caso – por exemplo, o apartamento será entregue sem piso e você não tem verba para colocar um bom piso rapidamente nele –, desista e procure outro. Imóvel é o que não falta!

Pesquise o histórico da incorporadora e da construtora

Incorporadora é a empresa que fecha negócios, construtora é a que coloca a mão na massa (corrida). Pesquise na internet se há reclamações sobre elas, se elas têm histórico de atraso de obras, tudo que puder. Se as reclamações forem muitas, é melhor desconfiar e, provavelmente, não fechar com elas.

Cheque todos os itens e as letras miúdas do contrato

Seu contrato deve ter alguns dados fundamentais, que listamos:

Continua após a publicidade

– Prazo máximo de entrega

– Tolerância de atraso

– Procedimentos caso você desista da compra antes da entrega do imóvel

– Procedimentos caso a construtora e/ou a incorporadora passar por algum perrengue

Continua após a publicidade

– Multas para as empresas em caso de descumprimento das cláusulas

– Garantia de encanamento e fiação elétrica após a entrega do imóvel

Isso já lhe deixará mais segura para fechar a compra, porque terá no que se apoiar em caso de problemas.

Se faltar alguma destas informações, o conselho de Lucas é que você converse com quem estiver intermediando a venda de sua unidade. E, caso você não sinta firmeza, é melhor não comprar.

Publicidade