Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Qual a melhor maneira de quitar as dívidas?

O comentarista de finanças da 'Globo News' responde às suas dúvidas sobre dinheiro, orçamento doméstico e planejamento financeiro

Por Samy Dana (colunista) Atualizado em 21 jan 2020, 22h42 - Publicado em 19 Maio 2015, 07h12

Sou dona de casa e meu marido acabou de voltar ao trabalho depois de seis meses sem emprego. Estamos com três parcelas do carro atrasadas, além de uma dívida de R$ 15 mil no cartão. Só temos conseguido pagar a parcela mínima da fatura. O que é melhor: vender o carro e quitar as dívidas ou fazer um empréstimo no banco? Meu marido não depende do veículo para trabalhar. Nossa renda é de R$ 4 mil.
K.C., por e-mail

Ter dívida é ruim, e ter dívida no Brasil é ainda pior, pois vivemos no país com a maior taxa de juros do mundo, que chega a nada menos do que 250% ao ano em alguns bancos! Assim, se você estiver devendo R$ 10 mil no cartão de crédito, em um ano a dívida será de mais de R$ 35 mil. Em dois anos, estará devendo mais de R$ 122 mil. Em três anos, mais de R$ 423 mil, e em quatro anos mais de R$ 1,5 MILHÃO!

Pagar só o mínimo da fatura do cartão é a pior dívida que se pode fazer. Portanto, há duas possibilidades: pegar um empréstimo mais barato ou quitar as suas dívidas com o dinheiro da venda do carro.

Em relação ao empréstimo, qualquer um tende a ter juros mais baratos do que os do cartão de crédito. Só que, mesmo considerando que o empréstimo seja “mais barato”, ele na verdade não é tão benéfico assim, pois também haverá juros. De qualquer maneira, os consignados são um exemplo de empréstimo menos caro e mais atrativo.

Como você mencionou que o carro não é um instrumento de trabalho, o mais indicado é se desfazer desse bem para liquidar as dívidas. E ao deixar de pagar o financiamento do veículo você pode juntar dinheiro e aplicá-lo. Se fizer isso, conseguirá ter um carro novo muito antes do tempo em que terminaria de pagar as parcelas. Além disso, carro é gasto! Portanto, ao se desfazer dele, pense que você terá dois ganhos: o dinheiro da venda e a chance de se ver livre de despesas com seguro, IPVA, gasolina, manutenção e por aí em diante. Venda o carro, não se apegue, vá em frente e em breve você conseguirá um carro novo!

Improvise e economize

  • A festa junina da escola dos seus filhos deve acontecer logo. Resista à tentação de comprar fantasias caipiras, elas estão uma nota (tem vestidinho por quase R$ 100!). Com fitas de cetim e retalhos de chita, você transforma roupas que têm em casa em belos figurinos para a criançada dançar quadrilha.
  • 40 mil reais é o custo médio de uma festa de casamento no Brasil, de acordo com um levantamento de uma empresa do ramo. A Proteste acaba de lançar um guia para ajudar os noivos a se planejarem bem e não estourarem o orçamento reservado para a celebração. Baixe o guia acessando o link. É de graça!

Envie suas perguntas pelo e-mail anamaria.abril@atleitor.com.br

Continua após a publicidade
Publicidade