Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

2ª edição do Fórum CLAUDIA reúne 25 CEOs em São Paulo

Evento, com ingressos esgotados, será nesta quarta (20), no WTC, em São Paulo

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 10h38 - Publicado em 19 mar 2019, 19h45

Em nova edição do Fórum CLAUDIA #EuTenhoDireito, mais de duas dezenas de mulheres presidentes de empresas estarão reunidas em um mesmo palco nesta quarta-feira, dia 20.

Em conversas mediadas por formadoras de opinião relevantes no mundo corporativo, as experiências mostrarão o protagonismo delas em alguns dos maiores negócios do Brasil e do mundo e também como conseguiram transpassar barreiras e perseverar em ambientes onde ainda são minoria. Falarão, é claro, da responsabilidade que carregam em liderar um movimento por mudança nas estruturas há muito consolidadas e pela conquista da igualdade de gênero.

Ricardo Toscani/CLAUDIA

Somos poucas, mas temos força!

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as mulheres ocupam 38% dos cargos gerenciais no Brasil. Na presidência, esse número cai para 18%, conforme a pesquisa Panorama Mulher 2018, realizada pelo Insper e a consultoria Talenses.

O dado reflete a situação feminina em outros países da América Latina e do Caribe, onde a distância de gênero permanece – e tem até aumentado – nos últimos anos. Mesmo no quesito desemprego, elas estão piores do que eles. Segundo o Panorama Social da América Latina 2018, em 2016 eram 10,4% de mulheres sem ocupação em comparação a 7,6% dos homens.

Continua após a publicidade

No caso de negros, as dificuldades são ainda mais desafiadoras. Ainda que estudos como o apresentado recentemente pela consultoria McKinsey revelem que empresas que investem em diversidade étnica têm 35% mais chances de alcançar um resultado financeiro superior ao dos concorrentes, sobram ofertas em cargos operacionais, mas faltam mulheres negras em posições executivas.

Esse cenário é consequência do racismo estrutural e da imensa falta de preparo das empresas e dos contratantes em questões de diversidade e inclusão.

Ricardo Toscani/CLAUDIA

Soltar o freio de mão é preciso

Deve levar mais de 200 anos para alcançarmos a equidade de gênero nas corporações, como apontou o relatório Global Gender Gap 2018, organizado pelo Fórum Econômico Mundial.

Os obstáculos para uma plena integração da mulher ao mercado de trabalho não são poucos, e a maioria deles foi abordada na primeira edição do Fórum CLAUDIA #EuTenhoDireito, realizada no ano passado.

Continua após a publicidade

Os relatos e debates trouxeram à tona o que há muito indicam os dados: as desigualdades reproduzidas continuamente são reflexo de uma estrutura antiga e antiquada.

Gravidez ou acúmulo de tarefas não remuneradas, como as referentes à casa, ao acompanhamento escolar dos filhos e à atenção exigida pelos pais idosos, fazem com que a mulher se sinta obrigada a optar por jornadas reduzidas, pausas que freiam sua ascensão e provocam até abandono do emprego. Apesar de essa ideia parecer desproposital aos homens, ela é realidade na maior parte do país.

A diretora de cinema francesa Virginie Despestes, em seu livro Teoria do King Kong (Martins Fontes), diz que as mulheres muitas vezes sentem vergonha do enorme poder feminino. A ideia de que temos de dar conta de tudo, apesar de equivocada, nos acompanha. A afirmação de Virginie, que se aplica a qualquer carreira, levanta outra questão que acomete as mulheres, a síndrome da impostora.

Esse comportamento se traduz em um sentimento – errôneo – de que a mulher não teria direito de estar na posição do topo por não ter capacidade para isso. Ele pode afetar até mesmo a superexecutiva de aparência confiante. Não raro, muitas mulheres reconhecem que, em um primeiro momento, assumir o protagonismo no ambiente corporativo pode lhes parecer uma atitude inapropriada.

Continua após a publicidade

Daí a necessidade de promover eventos que, como o Fórum CLAUDIA, criem um ambiente aconchegante para as mulheres trocarem experiências. Diante umas das outras, elas revelam as barreiras que enfrentam dentro e fora de corporação.

Apesar das particularidades da história de cada uma, relatada no palco, todas convergem para um objetivo em comum: a vontade de ajudar a outra e de mudar o cenário para quem está chegando. Vem daí a importância de discutir pautas com olhares múltiplos e vozes das mais diferentes origens, que tragam experiências diversas, criando assim um contexto mais global para tantos perfis femininos.

Agenda inesgotável

A missão de CLAUDIA e deste fórum é debater sobre o direito de as mulheres terem a carreira que almejam e de enfrentarem nessa trajetória os mesmos entraves que os homens. Elas precisam sentir e saber que podem avançar no mercado de trabalho sem ter de abrir mão da família, e vice-versa.

Neste ano, as reflexões continuam. Entre os temas a ser abordados estão a bagagem única que cada profissional carrega; a importância da construção da confiança; a inclusão feminina em territórios ainda muito masculinos, como a tecnologia; a coragem de mudar e a força para se reinventar quando a carreira não é mais satisfatória; os pontos fortes da feminilidade na gestão; e, claro, a união, ponto fundamental para que todas nós possamos construir um futuro melhor, com mais oportunidades.

Continua após a publicidade

Participantes 2019

  • An Verhulst-Santos (L’Oréal)
  • Ana Paula Bogus (Kimberly-Clark Professional)
  • Anna Chaia (Samsonite)
  • Carla Assumpção (Swarovski)
  • Chiara Mariottini (Sisley Paris)
  • Claudia Woods (Uber)
  • Cristina Palmaka (SAP)
  • Daniela Cruz (Vult)
  • Fiamma Zarife (Twitter)
  • Juliana Azevedo (P&G)
  • Liliane Rocha (Gestão Kairós)
  • Luciana Marsicano (Tiffany & Co.)
  • Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza)
  • Maite Schneider (Transempregos)
  • Marcia Esteves (Grey)
  • Maren Lau (Facebook)
  • Maria-Laura Tarnow (The Estée Lauder Companies)
  • Marília Rocca (Hidone)
  • Nadir Moreno (UPS)
  • Paola Kiwi (Tupperware)
  • Paula Paschoal (PayPal)
  • Rachel Maia (Lacoste)
  • Sheila Makeda (Makeda Cosméticos)
  • Tânia Cosentino (Microsoft)
  • Teresa Vernaglia (BRK Ambiental)

Participação especial: 

  • Gal Barradas (Gal Barradas Brand&Venture)
  • Nina Silva (Black Money)
  • Ana Claudia Plihal (Linkedin)
  • Ana Fontes (Rede Mulher Empreendedora)

Os ingressos já estão esgotados, mas é possível acompanhar a cobertura do evento por meio do site e das redes sociais de CLAUDIA.

Leia também: 8 executivas brasileiras estão entre líderes com melhor reputação no país

+ 5 conselhos de CEOs para aplicar na sua carreira

Continua após a publicidade

Confira as fotos do Fórum CLAUDIA 2019

Siga CLAUDIA no Youtube

Publicidade