Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Rachel Jordan Especializada em imagem, comportamento e protocolos internacionais, Rachel Jordan é consultora, instrutora, palestrante e ministra cursos e workshops por todo o Brasil sobre imagem e comportamento no ambiente profissional

O poder da nova mulher 50+

Aqueles que insistem em colocar a mulher de 50+ no banquinho da invisibilidade estão perdendo o trem da história

Por Rachel Jordan - 2 jun 2020, 19h00

Definitivamente esqueçam a imagem da mulher de 50+ comum à geração de nossas mães ou avós. Os tempos são outros. A mulher de 50+ atual tem consciência do seu poder e luta com a segurança que a maturidade lhe confere para conquistar tudo o que tem direito. Claro que ainda existe preconceito, inclusive de muitas mulheres que não descobriram o quanto podem ser poderosas nessa idade. Afinal, vivemos numa sociedade machista e com valores ultrapassados. Mas quer saber? Aqueles que insistem em colocar a mulher de 50+ no banquinho da invisibilidade estão perdendo o trem da história. Estão fadados a serem engolidos pelas mudanças que elas vêm promovendo por onde passam.

Segura, independente e bem-resolvida, a mulher de 50+ está se reinventando, quebrando os limites impostos a ela ao longo de muitas gerações. Os padrões de comportamento, felizmente, mudaram minha gente. Se no passado a mulher dessa faixa etária se resignava com o papel de avó – que é lindo e deve ser exercido em plenitude, vamos combinar que há algum tempo deixou de ser o bastante para preencher os anseios da cinquentona de hoje.

Queremos ser respeitadas e vistas de outra maneira. Estamos cheias de energia e vitalidade, prontas para pensar novas carreiras, novos relacionamentos. Enfim, estamos livres, leves e soltas para viver sem medo de ser feliz.

Quem ainda tem alguma dúvida disso basta dar uma olhada em quantas mulheres dessa faixa etária estão em lugares estratégicos em empresas, na política e em inúmeros segmentos. Um belo exemplo de mulher de 50+ é a ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama. Aos 56 anos, Michelle é um espelho para todas nós. Nunca esteve à sombra do ex-presidente Barack Obama. Advogada e escritora, roda os Estados Unidos desenvolvendo seus projetos sociais e lançando livros. No Brasil também temos exemplos de mulheres de diferentes classes sociais que conquistaram seus espaços e estão à frente de postos de comando.

Drew Angerer/Getty Images/Getty Images

O mercado já entendeu o poder dessa nova mulher na qual todas nós estamos nos transformando. A verdade é que passamos de consumidoras invisíveis a objeto do desejo de diferentes segmentos, como, por exemplo, moda e beleza. Entramos na era das ageless, as chamadas mulheres sem idade. Precisamos ser representadas, temos poder aquisitivo, somos um nicho importante de mercado. Finalmente estão nos descobrindo. O conceito de envelhecimento está sendo ressignificado.

É claro que nem tudo são flores nesse caminho. Temos as inseguranças comuns às mulheres de qualquer faixa etária. Mas se há alguns anos as linhas de expressão, as mudanças do corpo e os cabelos brancos nos assustavam, hoje podem ser vistos também como sinônimo de empoderamento. Aceitá-los com sabedoria se tornou um ato político. Temos o direito de decidir como desejamos envelhecer sem imposições, fazendo as escolhas que serão melhores para cada uma de nós. Repensamos a relação com a idade, estamos afastando nossos fantasmas. E se existe alguém que não cabe nesse novo mundo que está sendo descortinado, devemos ter certeza de que esse alguém não somos nós.

Continua após a publicidade

Precisamos juntas rever nosso olhar sobre o envelhecimento e viver as inúmeras oportunidades que ainda podemos descobrir. O momento é de compartilhar experiências e objetivos. Tempo de um novo trabalho, uma nova carreira e, por que não, um novo amor? Todos os dias devemos nos desafiar a novos aprendizados e a exercitar ainda mais a nossa curiosidade para nos mantermos ativas e ocupando nossos lugares.

Compartilho com vocês algumas propostas para nos sentirmos seguras e tranquilas para enfrentar os desafios e preconceitos que enfrentamos todos os dias.

Novos Aprendizados – Saia da sua zona de conforto, não tenha medo de arriscar, de ir em busca daquilo que sonha para a sua vida a partir de agora. Estimule a curiosidade, aprimore seu conhecimento, se reinvente.

Autocuidado – Seja a principal admiradora de você. Cuide da sua saúde, pratique exercícios, tenha orgulho do seu corpo, ele pode ser bonito em qualquer idade. Aceite as mudanças que o tempo apresenta porque negá-las é sinônimo de sofrimento. Não dê ouvidos as exigências que fazem dos nossos corpos, não se esconda. As mudanças devem ser usadas a seu favor e não contra você.

Dona do seu nariz – Diga não ao preconceito de pessoas que insistem em ver a mulher de 50+ como carta fora do baralho. Mais do que nunca estamos no jogo. Quem diz o que pode ou não pode ser feito somos nós. Tenha consciência do poder que conquistou ao longo de anos de experiências vividas. Elas são valiosas, acredite.

Em paz com o espelho – Lance mão dos recursos que tem a seu favor para se sentir ainda mais bonita. Existem produtos de beleza e estética que nos possibilitam ficarmos mais seguras. Isso nos ajuda a passar de forma mais positiva pelo envelhecimento e nos traz autoconfiança.

 

Continua após a publicidade
Publicidade