Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês
Rachel Jordan Especializada em imagem, comportamento e protocolos internacionais, Rachel Jordan é consultora, instrutora, palestrante e ministra cursos e workshops por todo o Brasil sobre imagem e comportamento no ambiente profissional

Novos atributos: as habilidades que estão em alta no mercado de trabalho

Você sabe o que são soft skils? São elas que estão fazendo toda a diferença na contratação de novos profissionais. Fique de olho nessas dicas

Por Rachel Jordan - Atualizado em 2 out 2020, 10h47 - Publicado em 2 out 2020, 10h44

Não é novidade para ninguém que, na última década, o mercado de trabalho se transformou radicalmente, passando a exigir novos perfis profissionais em função da revolução tecnológica. No entanto, nos últimos meses, essas mudanças se multiplicaram numa velocidade inimaginável e tornaram-se ainda mais evidentes em muitos segmentos. No momento, um mercado que já era altamente competitivo vive uma profunda mutação em decorrência da pandemia do coronavírus.

A pandemia resultou no desemprego de milhões de pessoas ao redor do mundo. E no Brasil, como sabemos, o quadro não é diferente. Muitos daqueles que tinham segurança em seus empregos viram a suposta estabilidade ruir e agora estão tentando se encontrar nessa nova realidade.

Se você faz parte desse gigantesco grupo de pessoas que sofreu ruptura na carreira e está em busca de uma nova oportunidade no mercado, é bom saber que atributos as empresas estão buscando para formar novos times de colaboradores. Mais do que nunca, é essencial conhecer as mudanças do mercado e estar conectado com o novo cenário.

Até bem pouco tempo as hard skills, ou seja, as habilidades técnicas como MBAs, intercâmbios e domínio de outros idiomas, eram super valorizadas. Em muitos casos, eram até definitivas para garantir uma posição de destaque no mundo corporativo. Agora, cara leitora, a história é outra. Não que essas habilidades tenham perdido valor, pelo contrário, continuam sendo um requisito fundamental. Mas a realidade é que não são mais as únicas protagonistas. No momento, são as soft skills que estão fazendo a diferença.

É que, por conta da profunda transição que estamos vivendo em âmbito mundial, com novos padrões de comportamento em diferentes níveis ganhando força a cada dia, as empresas também estão revendo suas práticas. Outros atributos passaram a ocupar o topo das habilidades necessárias para quem pretende se recolocar ou está entrando no jogo agora.

As corporações estão de olho em gestões mais humanas e empáticas. Caso você ainda não esteja familiarizada com as soft skills do momento, vamos entender melhor.

Primeiramente, você sabe o que são soft skills? São habilidades que estão diretamente ligadas à personalidade e ao comportamento de cada pessoa. Elas envolvem aptidões sociais, mentais e emocionais. E por que são tão importantes no ambiente profissional atual? Porque revelam nossa essência e como interagimos com outras pessoas. As soft skills evidenciam como nosso comportamento impacta de forma positiva ou negativa aqueles que estão a nossa volta no ambiente profissional.

Obviamente, as empresas contratam seus profissionais pela excelência de suas habilidades técnicas. Mas as soft skills estão sendo analisadas com lente de aumento pelos gestores. A sociedade evoluiu e hoje determinados padrões de comportamento profissional não são aceitos em muitas empresas. É cada vez mais comum profissionais que são desligados de uma empresa por atitudes que não correspondem aos objetivos de relacionamento interpessoal adotado pela corporação.

Continua após a publicidade

Estão com seus dias contados os profissionais que não têm inteligência emocional para lidar com determinadas situações ou para entender as limitações e dores do outro. Seja como líder ou colaborador, hoje é fundamental exercer essas capacidades. É claro que em algumas pessoas essas habilidades são natas, em outras precisam ser trabalhadas e desenvolvidas através de metodologias e até cursos específicos. Qualquer profissional que deseje ingressar no mercado de trabalho atual precisa desenvolver essas habilidades.

Confira algumas das soft skills que estão em alta e que podem abrir portas para novas oportunidades:

Empatia – Ter empatia se tornou uma habilidade essencial no meio profissional, especialmente para líderes e gestores. Afinal, esses profissionais precisam saber se colocar no lugar do outro, entender a dor de quem está ao seu redor, praticamente “sentir” a dificuldade que o outro está passando. Praticar e estimular a empatia no trabalho significa realizar uma gestão mais humana e aberta.

Resiliência – Ter resiliência profissional é saber lidar com as dificuldades que acontecem no ambiente de trabalho e ter maturidade emocional para se adaptar às situações de mudanças e de pressão que ocorrem no dia a dia. É saber
superar um problema, encontrando soluções que contribuam positivamente para o desempenho da equipe e da empresa.

Flexibilidade – As corporações estão passando por mudanças para se adaptar a novas realidades. Os profissionais precisam ser mais flexíveis diante de imprevistos, encarar novos desafios, transformá-los em novas oportunidades. Essa habilidade requer posturas positivas diante de um cenário sombrio. Uma profissional proativa e que contribua com novos conhecimentos é muito valorizada.

Gestão do tempo – Um profissional que sabe definir prioridades e gerenciar seu tempo, faz uma autogestão positiva. No ambiente profissional, saber gerenciar seu tempo e entender o tempo do outro é essencial. É uma habilidade que requer foco e determinação.

Pensamento crítico – É a capacidade que um profissional tem de identificar um problema e avaliar a questão de diferentes ângulos. É ter raciocínio lógico e encontrar soluções avaliando os pontos positivos e negativos de cada perspectiva. É encontrar respostas precisas para o momento certo.

Comunicação transparente – Saber comunicar de forma clara e direta é uma habilidade importante. Um colaborador que saiba se expressar bem é considerado peça-chave numa empresa. Além de saber se comunicar, precisa ter a capacidade da escuta, saber ouvir e respeitar diferentes opiniões. Saber dar e receber feedbacks construtivos. É o profissional que ajuda a resolver problemas complexos e tem um relacionamento interpessoal positivo.

Autoconhecimento – Essa é a qualidade do profissional que conhece seus pontos fracos e fortes e busca sempre se aprimorar para melhorar sua performance e potencializar suas competências. Contribui de forma assertiva para atingir resultados positivos. O profissional que se conhece, é capaz de estimular o autoconhecimento do outro.

Continua após a publicidade
Publicidade