Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

3 passos essenciais do skincare para tratar o melasma

A dermatologista Denise Steiner revela quais são as etapas do cuidado com a pele mais importantes para amenizar as manchas

Por Denise Steiner 5 ago 2021, 20h28

O melasma é aquela mancha acastanhada que compromete a pele do rosto de mulheres jovens. A pele da brasileira é muito misturada e de muitas tonalidades, o que torna o melasma muito frequente no nosso meio.

A área da pele comprometida pelo melasma é mais envelhecida do que a pele sem mancha, apresentando alteração marcante das fibras do colágeno e elastina. Os vasos cutâneos na região do melasma estão dilatados e disfuncionais e várias células estão aumentadas, deixando a pele mais sensível.

O sol, o calor e também a luz visível pioram o melasma. O cuidado diário, também conhecida como skincare, é muito importante para tratar e cuidar da pele com esse tipo de problema.

O melasma melhora com clareadores e procedimentos que eliminam a melanina, mas não dispensa os cuidados diários a seguir:

Limpeza

Procure limpar a região com produtos suaves, como água micelar, gel, sérum neutros ou creme de limpeza, já que não há necessidade do produto conter ácidos ou clareadores. Esfoliantes também podem ser dispensados.

Hidratação

A pele com melasma precisa de hidratação diária para que a sua função de barreira cutânea seja mantida. Durante o tratamento do melasma, a irritação e avermelhamento devem ser evitados.

Os hidratantes devem ser não comedogênicos e suaves com ácido hialurônico, glicerina, ceramida, niacinamida, uréia em baixas concentrações, vitamina E e também com veículos leves em sérum ou loção. O uso deve ser feito pelo menos uma vez ao dia.

Fotoproteção

O fotoprotetor é a parte mais importante do tratamento do melasma. O protetor precisa barrar a luz ultravioleta B, luz ultravioleta A e também luz visível, que compõe 40% da luz do sol.

O número de proteção tanto para luz UVB como para luz UVA deve ser alto, pelo menos 60 para UVB e 30 para UVA.

Continua após a publicidade

O filtro solar pode ser químico, físico ou a mistura dos dois. No caso do filtro químico, a formulação recebe os raios de UVB e UVA e transforma a mesma em calor. Já o filtro físico configura uma formulação que, em vez de reagir quimicamente com a luz, faz a reflexão da mesma.

O melhor filtro para melasma é ou físico ou a combinação de filtro físico e químico de amplo espectro.

Não existe filtro solar específico para a proteção da luz visível. Por esse motivo, considerando que a luz visível é a que mancha mais a pele, o filtro solar para tratamento do melasma precisa ter pigmento para que promova a proteção em relação a essa luz.

O melhor pigmento é o óxido de ferro, sendo interessante conferir a bula ou tirar as dúvidas com seu dermatologista.

Além de todas essas propriedades citadas, o filtro solar para a pele com melasma deve esconder as manchas, o que significa boa proteção.

Por fim, o filtro deve ser usado pelo menos três vezes ao dia.

Os cuidados de skincare para peles com melasma são fundamentais para o sucesso do tratamento dessas manchas tão frequentes e tão impactantes para a autoestima das mulheres brasileiras.

Cuide do seu melasma.

 

Continua após a publicidade
Publicidade