Clique e assine com até 75% de desconto
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Como tratar a acne durante o verão

Os dias de praia e piscina com muito sol podem piorar a situação da pele

Por Denise Steiner Atualizado em 16 jan 2020, 11h00 - Publicado em 16 jan 2020, 10h00

A acne é caracterizada por lesões inflamadas como espinhas, pústulas, comedões e cistos, localizadas principalmente no rosto. Ela está relacionada ao entupimento dos poros, provocado por excesso de oleosidade e crescimento das bactérias que irritam a pele.

Em geral, a acne compromete os adolescentes com predisposição genética e devido ao início da produção dos hormônios nessa fase da vida. Porém, as mulheres adultas também são afetadas pelas lesões, chamadas de acne da mulher adulta, que ocorre após os 25 anos com lesões inflamadas e mais frequentes na região do queixo.

No verão, devido ao excesso de calor, a glândula sebácea é estimulada a produzir mais sebo, o que provoca obstrução dos poros piorando as espinhas. A exposição ao sol em pequena quantidade tem efeito anti-inflamatório e pode melhorar a acne, mas em excesso provoca justamente efeito contrário.

Durante a estação, qualquer tratamento para acne deve ser reavaliado para evitar piora da irritação da pele inflamada. Nesse caso, a proteção deve ser redobrada e excesso de sol deve ser evitado. O filtro escolhido para prevenir do sol precisa ser específico para pele oleosa com veículo leve e não comedogênico.

O tratamento com Roacutan (isotretinoína) pode deixar a pele sensível, por isso é muito importante evitar o excesso de sol. Já o tratamento com ácido retinóico tópico pode ou não ser continuado, talvez numa frequência menor, para evitar a irritação da pele. É importante lembrar que qualquer avermelhamento favorece o aparecimento de manchas.

Continua após a publicidade

O tratamento pode continuar com ativos que não provoquem irritação como: ácido glicólico, adapaleno, ácido salicílico, peróxido de benzoila, entre outros. A hidratação com produtos leves e não comedogênicos é importante para ajudar no equilíbrio da pele. A limpeza de pele regular, por sua vez, não precisa ser descontinuada, mas o sol é proibido nos dias seguintes ao procedimento.

Peelings e laser podem ser feitos se a pessoa não está se expondo ao sol de praia. Em relação a alimentação, evite leite e derivados assim como alimentos de alto índice glicêmico, pois são inflamatórios. Verduras e frutas, que são antioxidantes naturais, e muita água são benéficos nessa situação.

Leia mais: Tudo o que você precisa saber sobre o uso do filtro solar

Horóscopo: Previsões astrológicas para todos os signos em 2020

 

Continua após a publicidade
Publicidade