CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Como funciona a sensibilidade da nossa pele

A dermatologista Denise Steiner explica as funções da pele, o maior órgão do corpo humano

Por Denise Steiner Atualizado em 11 nov 2021, 12h49 - Publicado em 11 nov 2021, 14h00

A pele é um órgão de sensibilidade, pois tem centenas de receptores e terminações nervosas que transmitem as sensações. Existem vários tipos de terminações nervosas relacionados a dor, temperatura e tato.

Quando seguramos um objeto somos capazes de regular a força e pressão que precisamos fazer. Quando sentimos o calor do fogo, automaticamente nos afastamos. Também se algo nos machuca conseguimos identificar o incômodo e podemos afastar aquilo que nos prejudica.

Veja também: Um guia para hidratar a sua pele do jeito certo

A pele é um órgão com sensibilidade, e junto com outros órgãos dos sentidos como visão e olfato formam a proteção do organismo.

No caso de certas doenças como a hanseníase, onde as terminações nervosas são destruídas devido à infecção por micro-organismos, a pessoa não sente dor e machuca a pele com mais facilidade.

A pele também sente o carinho e aconchego e transmite para o cérebro essa poderosa sensação de bem estar.

Crianças doentes têm melhor recuperação quando são abraçadas. Existem vários estudos que comprovam esse tipo de experiência.

A pele também é o órgão da aparência e tem importância na autoestima de cada indivíduo. Tem o potencial de refletir na sua aparência o que está ocorrendo dentro do organismo.

Continua após a publicidade

Quando estamos cansados, doentes ou estressados, a pele muda de cor, textura e muitas vezes apresenta lesões inflamatórias. Tudo isso configura um pedido de socorro do organismo doente.

A pele é o maior órgão do corpo humano e tem inúmeras funções proativas. Ela, através da barreira cutânea, participa da nossa defesa imunológica, emitindo sinais que podem caracterizar doenças da superfície.

Por tudo isso precisamos saber interpretar seus sinais e cuidar dela de forma equilibrada e constante. Para garantir a função competente de barreira cutânea, a pele precisa de limpeza, hidratação e foto proteção.

A limpeza diária é fundamental para eliminar os resíduos de poluição que dificultam o funcionamento cutâneo da mesma. A hidratação da pele precisa ser mantida para que as células possam cumprir suas variadas funções.

A água é essencial para manter a pele com funcionamento perfeito. A foto proteção é relevante pois a radiação solar prejudica a pele, através das queimaduras, inflamação, envelhecimento e até facilitando o aparecimento do câncer de pele.

Bons cuidados com a pele mantem sua integridade, reforçam seu poder de barreira e nos deixam mais protegidos.

Cuide da sua pele.

Continua após a publicidade

Publicidade