Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

A importância dos cuidados com a pele das mãos em tempos de pandemia

Lavar as mãos muitas vezes ao dia pode causar dor, inchaço e avermelhamento. Saiba como evitar

Por Denise Steiner Atualizado em 17 dez 2020, 11h51 - Publicado em 17 dez 2020, 13h00

As mãos são importantes para vários movimentos e ações que praticamos no dia a dia. Com elas sentimos, escrevemos, brincamos, seguramos e acariciamos. Nos tempos de pandemia, essas mesmas mãos precisam ser lavadas com sabonete ou limpas com álcool gel várias vezes ao dia.

A pele que recobre as mãos é muito eficiente em nos proteger, porém a lavagem excessiva ou uso de álcool gel prejudicam esse equilíbrio perfeito, ocasionando vários graus de inflamação.

Em vista dessas agressões, as pessoas desenvolvem a dermatite de mãos caracterizada por dor, avermelhamento, inchaço, fissuras e descamação.

Lavar as mãos muitas vezes ao dia provoca mudanças no pH da pele causando desidratação e rompimento do equilíbrio da barreira cutânea. O ideal é que, além de continuarmos com as medidas de proteção, possamos tomar certos cuidados básicos, como:

  1. Lavar as mãos com sabonete neutro;
  2. Enxaguar as mãos com água corrente;
  3. Preferir a lavagens das mãos com sabonete neutro ao invés de usar álcool gel várias vezes ao dia. O álcool é mais irritante que o sabonete;
  4. Hidratar bem as mãos todas as vezes que as mesmas forem lavadas ou limpas com álcool gel.

O hidratante específico para as mãos deve ser cremoso e conter substâncias umectantes como a glicerina, ácido hialurônico, ceramidas, aquaporinas, vitaminas antioxidantes, entre outros.

Continua após a publicidade

O creme deve ser usado todos os dias de preferência todas as vezes que as mãos forem lavadas ou limpas. Após o espalhamento do hidratante nas mãos, elas podem ser fechadas com luvas para que, devido ao abafamento, o produto tenha melhor penetração.

As mãos que apresentam essa dermatite são mais suscetíveis a qualquer tipo de infecção (bacteriana, viral e fúngica), assim como também podem desenvolver eczemas mais graves e gerar novos graus de inflamação.

Dependendo do grau da dermatite de mãos, o tratamento deve ser medicamentoso com o uso de corticoides e antibióticos. O uso desse produto deve ser orientado por médicos especializados. O corticoide deve ser usado somente no tempo prescrito pois a longo prazo pode gerar efeitos colaterais como atrofia de pele.

Cuide bem das suas mãos em tempo de Covid-19.

  • O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade