Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Conversa de Vó Natália Dornellas é jornalista, podcaster e ativista da longevidade. Procura por avós e avôs para prosear e histórias de #avosidade para contar. É criadora do podcast Conversa de Vó e cofundadora da plataforma 40+ AsPerennials

Esta vovó de coração bem resolvida é musa em Portugal

Conhecida por onde passa como Fernandinha, ela é musa máster do projeto “A Avó Veio Trabalhar"

Por Natália Dornellas Atualizado em 17 fev 2021, 15h33 - Publicado em 17 fev 2021, 17h30

A temporada 2021 de lives do Conversa de Vó, que se desdobra semanalmente lá no meu Instagram, começou cheia de otimismo e com episódio além-mar. “Viajei” até Portugal para conhecer melhor a “AVLÓgger” Maria Fernanda. Conhecida por onde passa como Fernandinha, ela é musa máster do projeto “A Avó Veio Trabalhar” de que já falei nesta coluna.

Maria Fernanda Martins nasceu em Seia, norte do país, e chegou a Lisboa aos 19 anos para morar com uma tia e fugir do controle de uma mãe dominadora. Tímida e recatada, ela nem sempre foi essa figura que anima vídeos e eventos e se diz em constante paródia. “Já fui um pão sem sal”, confessou na nossa conversa que para mim confirmou a tese de que, sim, podemos pivotar a vida e optar pela alegria e o otimismo.

Dona Fernanda
Fernandinha já fez de tudo um pouco, e se descobriu uma estrela na maturidade arquivo pessoal/Divulgação

Solteira e muito bem resolvida com essa condição, ela teve duas desventuras amorosas (seus dois grandes amores faleceram à beira do altar) e vive feliz sendo uma avó sem netos de sangue, mas com uma família do coração que só faz crescer.

Campeã de vendas da Tupperware no passado, Fernandinha já fez de tudo um pouco, mas foi na maturidade que descobriu uma estrela dentro de si e virou “AVLÓgger” fazendo comerciais para projetar o “Avó” por Portugal e adjacências. Garota propaganda da famosa Padaria Portuguesa, ela hoje se diverte ao ser reconhecida pelas ruas de Lisboa, depois de ter a foto estampada em cerca de 50 lojas da franquia.

maria fernanda
” Já fui um pão sem sal”, diz ela que deixou de ser tímida e recatada acervo pessoal/Divulgação

Ansiosa pelo fim do confinamento, ela, claro, já tem planos para quando tudo isso passar. Quer retomar sua rotina de exercícios fora de casa (pois hoje ela sobe e desce as escadas do prédio onde mora) e viajar. Um cruzeiro para o Brasil seria de ótimo tamanho, pois cá ela já esteve várias vezes e ama a nossa terra.

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade