Como planejar uma festa de tirar o fôlego

Planejei a decoração do meu casamento até os mínimos detalhes e contei com um time maravilhoso de fornecedores. Veja aqui o resultado surpreendente.

Defini a decoração como uma das minhas prioridades logo que comecei a organizar o nosso casamento. Meu trabalho em CLAUDIA, principalmente no caderno de Casa&Cozinha, consiste em pesquisar referências pros nossos editoriais e viabilizar essas ideias junto com as nossas produtoras. Por conta disso, acabei desenvolvendo uma afinidade com produção de eventos no geral. Encarei o casamento como o editorial mais importante da minha vida! Seguir o processo criativo me ajudou a dividir minhas ideias de maneira objetiva com os fornecedores e o resultado valeu todo o esforço!

Pra começar, levei em consideração todas as características do espaço. Escolhemos o Jardim Leopoldina, em São Paulo, justamente porque é um ambiente neutro e espaçoso, onde poderíamos criar qualquer estrutura e seguir qualquer estilo. O salão tem um pé direito bem alto, o que pede muitos arranjos aéreos. Preparei um moodboard e um roteiro de produção e tive uma longa reunião com a minha assessora e a Cecília Faria, da Boutique de Flores. Uma das coisas mais importantes definidas no painel de inspiração foi a paleta de cores, seguida à risca, inclusive no vestido das madrinhas.

A cerimônia
Demorei um tempo pra aprender que o caminho até o altar é chamado de “nave”. Quando a decoradora falava, imaginava uma coisa meio Xou da Xuxa! Mas logo me familiarizei com todos os termos do universo dos casamentos e participei de cada decisão. O noivo gosta muito de gipsófila, a florzinha miúda conhecida como “mosquitinho”, então optamos por um caminho todo branco e verde. Sempre quis que a nossa cerimônia fosse um momento leve e aconchegante. Queria que todos ali presentes se sentissem acolhidos, como parte da família, e que o cenário fosse algo meio lúdico, meio “dos sonhos”. Também precisávamos pensar logisticamente porque a cerimônia foi no mesmo lugar da festa e isso significa que foi necessário remontar. Portanto, o fundo da cerimônia também foi o fundo da mesa de doces e escolhi algo que funcionasse pros dois. Pedi pra Cecília algo criativo, nada óbvio, e ela me sugeriu uma composição de arcos suspensos. Pra adicionar um pouquinho de drama, incluímos os lustres de bico de jaca, que deram um toque vintage e fizeram uma perfeita moldura pro altar. Quatro jabuticabeiras, – as mesmas árvores em que costumava subir na casa dos meus avós quando criança – preencheram bem o espaço, dando a cara de jardim que eu tanto queria.

A cerimônia
Demorei um tempo pra aprender que o caminho até o altar é chamado de “nave”. Quando a decoradora falava, imaginava uma coisa meio Xou da Xuxa! Mas logo me familiarizei com todos os termos do universo dos casamentos e participei de cada decisão. O noivo gosta muito de gipsófila, a florzinha miúda conhecida como “mosquitinho”, então optamos por um caminho todo branco e verde. Sempre quis que a nossa cerimônia fosse um momento leve e aconchegante. Queria que todos ali presentes se sentissem acolhidos, como parte da família, e que o cenário fosse algo meio lúdico, meio “dos sonhos”. Também precisávamos pensar logisticamente porque a cerimônia foi no mesmo lugar da festa e isso significa que foi necessário remontar. Portanto, o fundo da cerimônia também foi o fundo da mesa de doces e escolhi algo que funcionasse pros dois. Pedi pra Cecília algo criativo, nada óbvio, e ela me sugeriu uma composição de arcos suspensos. Pra adicionar um pouquinho de drama, incluímos os lustres de bico de jaca, que deram um toque vintage e fizeram uma perfeita moldura pro altar. Quatro jabuticabeiras, – as mesmas árvores em que costumava subir na casa dos meus avós quando criança – preencheram bem o espaço, dando a cara de jardim que eu tanto queria. (Divulgação/CLAUDIA)

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

O altar em si estava muito simples: um vaso de alecrim (dizem dar sorte) e uma Nossa Senhora da Bonecos Major Tom foram os únicos pedidos especiais.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Chamamos a Marcia Henz, da Rito Cerimônias, para celebrar. Ela fez um texto 100% original, baseado em algumas frases que gostamos e num longo questionário que respondemos. Nossos pais e padrinhos também responderam algumas perguntas. Meu avô levou as alianças e foi um momento muito emocionante, leve e autêntico, como sempre sonhamos. Prometi ser a melhor versão de mim mesma pro Lu e ele, pra mim. Meu coração estava em festa!

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Recebendo os convidados

As mesas foram especialmente preparadas pra receber cada um dos nossos 200 convidados. Escolhi toalhas azuis e aluguei sousplats. Tenho pavor de arranjos de flor tipo “bolinha” e queria algo mais desconstruído como centro. Nenhuma das 20 mesas eram iguais: a decoradora usou uma composição diferente em cada uma, misturando cerâmicas, vidros, louças e metais, principalmente o cobre. Ela criou um mix de materiais e texturas, exatamente como eu tinha pedido. As flores também estavam absolutamente perfeitas! Como protagonistas, as minhas preferidas: peônias, hortênsias, amaranto… Uma explosão de azuis, vinhos e tons de rosa. Fiquei absolutamente apaixonada pelo resultado.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

A mesa de doces foi composta por várias alturas diferentes, seguindo o mesmo conceito de mix de tendências. Um toque romântico das louças azuis e gaiolas brancas; um toque rústico da palha e das madeiras; um toque industrial do cobre e outros metais. Tudo junto e misturado e ficou a nossa cara!

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Os docinhos da Nininha Sigrist estavam um arraso e nossos três bolos do The King Cake foram o grande destaque, num aparador separado. Escolhemos um bolo de três andares com textura marmorizada e fios dourados; um bolo de dois andares com acabamento espatulado e um bolo menor, de um andar, um estilo naked cake. As mesmas flores usadas na decoração estavam lá, feitas de açúcar!

Nossos topos de bolo foram um dos detalhes que mais amei na décor. Os noivinhos de madeira personalizados até os mínimos detalhes (não aguentei minhas sardas e a tatuagem do Lu!), da Bonecos MajorTom, e nossos nomes recortados à laser, do Estúdio Tatu.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Os lounges também foram pensados com carinho. Alugamos cadeiras, poltronas e pufes da Ambiente Eventos pra completar o visual. À caminho da saída, um detalhe especial: os bem casados que encomendamos com a Bem Casados Dany foram as lembrancinhas perfeitas (comi vários no dia seguinte!).

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

A mesa da família

Desde o início, queria uma mesa comunitária pra receber a família. Era muito importante pra mim que os nossos pais, avós e familiares mais próximos tivessem um lugar de destaque na festa. Procurei algo especial que pairasse em cima da mesa e o lustre de lâmpadas de filamento da Aprire Iluminação foi o encaixe perfeito. Como centro de mesa, um longo caminho de eucalipto (minha folhagem preferida!) e muitas velas. O contraste das velas super românticas com as lâmpadas modernas ficou o máximo!

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Nossas cadeiras, de noivo e noiva, tinham dois recortes à laser, também do Estúdio Tatu, com a frase “We found love”… “Right where we are” (encontramos amor bem onde estamos), letra da música do Ed Sheeran, Thinking Out Loud”, que foi nossa primeira dança como marido e mulher. A mesa serviu de cenário pra diversos brindes em família que, com certeza, são algumas das melhores memórias desse dia.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Cantinhos de interação

Sempre acreditei que o melhor jeito de criar uma decoração envolvente e memorável é ter cantinhos que promovam a interação com os convidados. Tudo foi pensado pra encantar e divertir! Para o bar, usamos duas estantes deitadas e os nichos foram preenchidos com objetos de decór e folhagens. Nele, a Cocktelaria preparou alguns dos nossos drinks favoritos. O aéreo do bar tinha uma chuva de velinhas e orquídeas cor de rosa.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Ao lado, a PhotoParty montou um painel maravilhoso pra ser usado como backdrop de fotos. Todas as postagens no Instagram durante o evento marcadas com a hashtag 500diaspracasar eram impressas na hora e dispostas num varalzinho de cobre decorado com flores. Todo o ambiente foi sinalizado com plaquinhas que seguiram nossa identidade visual com orientações sobre como usar o serviço. Cada convidado pôde levar pra casa uma recordação instantânea! Foi o melhor jeito de eternizar o momento e garantir a diversão dos convidados.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Do lado de fora

Na parte externa, estacionamos meu carro de noiva, que acabou servindo como pano de fundo pra todas as nossas fotos protocolares. Escolhemos o modelo Ford Galaxie 500 porque minha avó usou o mesmo carro no casamento dela com o meu avô.

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

Foi uma das formas que homenagearmos meus avós, que se casaram no mesmo dia que nós! Esperamos ter a mesma sorte que eles, que já completam 45 anos de casados!

 (Frankie & Marília/CLAUDIA)

 (CLAUDIA/CLAUDIA)

{Não perca a continuação ao longo da semana!}

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s