Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Carol Sandler Por FINANÇAS FEMININAS Carol Sandler é jornalista, fundadora do Finanças Femininas e autora do "Detox das Compras"

Obituário: O provedor não existe mais

O salário das mulheres já representa uma parte cada vez mais importante da renda familiar

Por Carol Sander - 28 jan 2020, 19h24

Ele reinou absoluto durante milênios, mas a verdade é simples: o provedor já não existe mais.

Até o final dos anos 1950, o homem provedor era o padrão mundo afora. No entanto, com a entrada das mulheres no mercado de trabalho, o que começamos a ver foi que o salário delas passou a representar uma parte cada vez mais importante da renda familiar.

Hoje, são raríssimos os casos em que os ganhos de um bancam o padrão de vida da casa.

No entanto, algumas de nós continuam a acreditar no sonho do príncipe encantado. No “homem ideal” que além de todas as qualidades, tenha uma conta bancária recheada. Na ideia de que “O que é meu, é meu. O que é dele, é nosso” – como se o nosso salário fosse insuficiente para fazer alguma diferença na hora de pagar as contas do lar.

Continua após a publicidade

Atualmente, as mulheres são as chefes de domicílio em 38% dos lares brasileiros – isto quer dizer que em quase metade das famílias, as mulheres ganham mais do que os homens, ou não há homem na jogada.

Não dá mais, em pleno 2020, pensar que os homens devem ser os provedores. Este é um papel que é dividido no casal, na prática, há décadas.

O mundo sofre para se acostumar – vide o caso do “Megxit”. A decisão do casal real Harry e Meghan foi fundamentada na proposta de que ambos desejam trabalhar e construir a sua independência financeira. (E vamos combinar que Meghan já tem uma bela carreira, não é?).

Está na hora, portanto, de aposentarmos algumas noções. Vamos lá? Além do conceito do provedor, que cabe apenas ao nosso passado, precisamos incluir também alguns outros, como:

Continua após a publicidade
  • A ideia de que é responsabilidade do homem de pagar as contas
  • A ideia de que dinheiro é um assunto masculino
  • A ideia de que investir é uma responsabilidade masculina também
  • A ideia de que mulheres gostam apenas de comprar
  • A ideia de que mulheres não sabem cuidar bem do seu dinheiro

Se temos toda a capacidade de construir carreiras brilhantes, temos também todas as condições de cuidar do patrimônio que construímos.

 

Publicidade