Sobrevivendo em casa

Em meio ao caos, o mundo está, de fato, mais sereno

É tanto zap, meme, fakenews que nem sei mais separar o joio do trigo, mas confesso que uma das sensações mais legais que tenho sentido é a lentidão. Mesmo chorando nossos mortos , o mundo – fato – está mais sereno.

Sacaram que o timing desacelerou? Meio câmera lenta, a vida tem uma cadência de cidade do interior. Olhar pela janela; levar horas lavando o cabelo; o prazer de descascar batatas. E meus vizinhos? Nunca nem havia reparado neles. A bonitona que sobe e desce as escadas de serviço achando que está na academia; o vizinho que canta (mal) no banho; a criança capeta que grita e corre sem parar no play jorrando energia.

E eu? De shortinho, camiseta, desgrenhadamente sexy – me sinto uma diarista 50+ achando que tenho 20. Varro, passo, cozinho, tiro o pó inventando que nasci assim – meio Gabriela – e nunca tive minha vida anterior. Arrumo gavetas e perfumo a casa. Sou a senhora do meu castelo e, do alto da torre, ao invés de jogas as tranças, rezo para um novo mundo. Aquele antigo, nem lembro mais. E você?

Veja também
%d blogueiros gostam disto: