Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Onde é melhor comprar cosméticos: na internet, no exterior ou nas grandes drogarias?

Sua chance de fazer comprinhas de beleza incríveis com ótimo custo-benefício pode estar mais perto do que você imagina: na drogaria do seu bairro. Investigue, experimente, teste. A regra é não economizar no garimpo.

Por Bruna Bittencourt - Atualizado em 28 out 2016, 12h49 - Publicado em 11 mar 2015, 10h05

Sua chance de fazer comprinhas de beleza incríveis com ótimo custo-benefício pode estar mais perto do que você imagina: na drogaria do seu bairro. Investigue, experimente, teste. A regra é não economizar no garimpo

Nas drogarias

1 . Pesquise bons preços.

Cosméticos costumam ser mais baratos nas drogarias, mas também existe variação de preço entre uma farmácia e outra. Então, o ideal é dar uma olhadinha em dois ou três lugares antes de comprar. Observe a validade: muitas vezes, um produto está surpreendentemente barato porque vencerá em breve. Se você for usar logo, ótimo. Senão, deixe para lá.

2. Ache marcas difíceis de encontrar.

Nem todo fabricante tem loja própria. Por isso, muitos usam farmácias para vender seus produtos. Nas mais moderninhas, você já encontra quiosques exclusivos de cada marca (ou estão todas juntas e misturadas, o que também é bom para quem procura variedade). Outra vantagem é ter a coleção completa reunida em um único lugar, pois facilita na hora de achar a melhor cor de pó compacto ou base para sua pele.

3. Encontre linhas antigas.

Já aconteceu de você “perder” seu batom favorito porque a empresa suspendeu a fabricação? Tente garimpar o item nas farmácias. Como elas são menos procuradas do que as grandes lojas, costumam ter os produtos em estoque por mais tempo.

4. Invista no famoso dois em um.

Drogarias fazem muitas promoções juntando dois ou três produtos num combo com desconto. Vantagem para quem usa a mesma marca de condicionador, hidratante e até de batom. Também é uma boa oportunidade para experimentar uma marca diferente. Um dos produtos vai sobrar? Divida com uma amiga. Aventure-se: em geral, o preço compensa.

Continua após a publicidade

5. Aproveite a variedade de cremes.

Já que você está em uma farmácia, dermocosméticos não vão faltar. Busque marcas diferentes ou menos conhecidas, pesquise novos ativos ou produtos com funções específicas, vá atrás da textura certa para sua pele. Se você já é fã de algum ingrediente, anote o nome e procure-o em outras fórmulas. Assim, você pode experimentar outros cremes sem perder os benefícios.

6. Experimente!

As drogarias oferecem muitos itens de maquiagem e cremes já abertos para você provar antes de comprar. Esse teste pode evitar arrependimentos mais tarde. Passe os produtos no dorso da mão para sentir a textura e checar a cor. “Se preferir experimentá-los no rosto, evite aplicar batom diretamente na boca ou utilizar pincéis não descartáveis, pois facilitam a transmissão de vírus e bactérias”, alerta a diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Luciana Rabello.

7. Peça a ajuda de um especialista.

Toda drogaria tem um farmacêutico de plantão. A função dele é auxiliar na compra de remédios, mas isso não o impede de dar informações sobre os ingredientes e a ação de cremes. Entender o funcionamento do produto na sua pele pode ajudar na hora de tomar a decisão mais acertada e fazer uma compra consciente.

Fique atenta

A empolgação entre as prateleiras pode ser grande. Para não gastar dinheiro à toa, consulte primeiro um médico que conheça sua pele para saber se não tem aversão a nenhum ingrediente. Afinal, você não quer correr o risco deter reações alérgicas só por causa de uma pechincha, certo?

Traga na mala

Que atire a primeira pedra quem nunca fez uma listinha para a amiga trazer de uma viagem ao exterior. Agora é sua vez de ir? Siga nossos conselhos e faça as compras renderem

Continua após a publicidade

1. Monte uma wish list.

Antes de partir, procure em blogs e nos sites das marcas os itens que você quer. Anote o preço sugerido, o nome das coleções, do produto e até mesmo da cor. Leia também as críticas de outras usuárias. Muitas vezes, só na pesquisa você já reduz a quantidade de itens a ser comprados ou descobre outros muito mais eficazes.

2. Teste os produtos antes.

Em geral, a maquiagem e os cremes nacionais têm textura mais leve, pois são produzidos para a pele oleosa das brasileiras”, diz a dermatologista Luciana Rabello. Por melhor que seja a marca, nem sempre o produto é compatível com seu tipo de pele ou o mais indicado para ela. Por isso, experimentar antes de comprar é fundamental. Se puder, dê uma volta no shopping usando a base, a sombra ou o batom que pretende levar antes de decidir. “No caso dos cremes, espere um dia para garantir que o produto não vai causar reações na pele”, sugere Luciana.

3. Não caia no consumismo.

A variedade de produtos e lojas no exterior é incrível. “Encher o carrinho parece um sonho, mas tente ser um pouco racional. Pense em como esse gasto extra pode prejudicar seu orçamento”, diz Márcia Tolotti, psicanalista e autora de As Armadilhas do Consumo (Campus). Lembre-se de que, se comprar em grande quantidade, muitos cosméticos vão acabar vencendo na sua prateleira sem sequer ter sido usados, o que é um desperdício.

4. Compre com praticidade.

Se for viajar com marido e crianças, tenha em mente que talvez eles não sejam tão pacientes quanto suas amigas enquanto você experimenta e compra. Nesse caso, faça um pré-roteiro. Liste os supermercados, as lojas de departamento e farmácias que valem uma passadinha. Como oferecem vários produtos, você aproveita para fazer uma grande compra em apenas um lugar e já risca vários itens da lista.

5. Pense no transporte.

Continua após a publicidade

As companhias aéreas restringem a quantidade de líquido que você pode levar na bolsa de mão. Portanto, é provável que suas compras tenham que ser despachadas. Procure acomodar todos os produtos com segurança em um nécessaire, evitando frascos e maquiagem quebrados, ou disponha-os entre as roupas, que, nesse caso, funcionam como amortecedores de impacto. Embale perfumes e maquiagem em plástico-bolha.

6. Aproveite as promoções.

As grandes lojas de departamentos costumam oferecer muitas ofertas próximo às mudanças de estação, nos meses de março e setembro. A perspectiva de novos e aguardados produtos faz os antigos virarem pechincha. Para quem não se importa com as cores ou tendências da vez, é um bom momento para comprar itens básicos, como um lápis preto para os olhos ou um clássico batom vermelho, e incrementar sua coleção pessoal.

7. Vá atrás das coleções especiais.

Muitas marcas fazem linhas temáticas cobiçadas que nunca chegam ao Brasil. Nos blogs e sites das próprias empresas, você descobre esses lançamentos com antecedência e pode aproveitar para procurá-los na viagem.

Fique atenta

As lojas de marca, em especial as mais conhecidas, ficam lotadas de turistas, o que significa muita fila e bastante tempo lá dentro. Então, evite-as ou tente ir assim que abrirem, pois a chance de estarem vazias é grande.

Pela internet

Que as compras online estão crescendo, todo mundo sabe. Mas, para quem é nova na área, sempre vale prestar atenção em alguns truques de segurança e conforto para ficar só com o lado bom do negócio

1. Certifique-se de que o site é de confiança.

Continua após a publicidade

A melhor medida é checar se a loja oferece canais de contato (e se estão ativos). Antes de realizar a compra, mande uma mensagem pelo serviço de atendimento ao consumidor ou pelo link Fale Conosco; se houver um número de telefone, ligue e pergunte a respeito da empresa. Assim, você pode tirar dúvidas ou reclamar depois caso o serviço não funcione.

2. Ouça as experts.

Palavras de amigas ou de blogueiras que já usaram os serviços online valem ouro. Elas provavelmente terão experiências boas e ruins para contar e muito para ensinar. Pergunte o que compraram e onde. Dessa forma, você fica sabendo de antemão quais sites são especializados em maquiagem, produtos para cabelo e até em perfumes. Outra vantagem é descobrir os endereços que oferecem as melhores promoções.

3. De olho no tempo de entrega.

Os sites indicam quanto tempo levam para a compra chegar até sua casa. Se não encontrar na home page, mande um e-mail perguntando. Assim, você tem uma resposta oficial ¿ e por escrito ¿ caso o produto não chegue dentro do prazo. Em compras internacionais, as encomendas podem demorar até 60 dias. Todo site oferece um código de rastreamento para você acompanhar a viagem do produto. Exija o seu.

4. Pesquise a taxa de entrega.

Cheque no site dos correios o valor do frete para se certificar de que o site não está cobrando preços abusivos. Se for possível, opte pela encomenda registrada e com seguro. Entregas internacionais exigem ainda mais atenção: a cobrança não pode superar o valor dos produtos; senão, não vale a pena. “Para evitar que fiquem paradas na alfândega, as compras devem ser para uso pessoal, em quantidades pequenas, e o valor total não pode ultrapassar 50 dólares”, diz Margareth Tagliapietra, gerente de negócios do PuntoMio, site facilitador de importações.

5. Aproveite as ofertas relâmpago.

Assine a newsletter dos sites em que costuma comprar e fique sabendo antesde todo mundo sobre os produtos e as marcas que entrarão em promoção. Aproveite para adquirir os itens que usa diariamente e que precisam ser repostos com mais frequência. Fique de olho também se existe desconto na compra de dois produtos iguais ou da mesma marca.

Continua após a publicidade

6. Evite produtos desconhecidos.

Nada de testar um novo tom de base ou um creme que não foi indicado pelo seu dermatologista, pois o risco de errar é grande. A exceção vale para sombras, batons e até mesmo perfumes desde que você esteja aberta a novidades. Caso desista da compra ou o produto venha com defeito, você tem um prazo de sete dias para devolver o item e exigir seu dinheiro de volta (em geral, as empresas só aceitam a devolução se o lacre da embalagem não estiver violado e o produto não apresentar indícios de uso).

7. Cuidado com o cartão de crédito.

O mais indicado é ter uma tabelinha de controle para saber a hora de parar ou estipular uma frequência máxima para compras – uma vez por mês, por exemplo. Mas é preciso força de vontade para cumprir esse combinado consigo mesma”, avisa a psicanalista Márcia Tolotti.

Fique atenta

De acordo com o tipo de compra e a frequência, o banco pode bloquear seu cartão de crédito – isso acontece se eles suspeitarem de fraude ou clonagem. Nesse caso, verifique se algumas das suas compras não foram canceladas.

Publicidade