Inspiração: Primatóloga Jane Goodall reflete sobre mudanças necessárias no mundo

Em entrevista inspiradora, doutora reflete que estilo de vida sustentável e erradicação da pobreza são as soluções para crise ambiental

Em uma entrevista profunda, a primatóloga, etóloga, antropóloga e Mensageira da Paz das Nações Unidas Jane Goodall fala sobre ativismo ambiental e preservação animal.

O vídeo faz parte do projeto Human The Movie, do fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand, que reuniu relatos de mais de 2000 homens e mulheres, por mais de 60 países. As histórias reais abordam diversos tópicos, como vida, morte, amor, família, pobreza, direito das mulheres, sexualidade e guerra.

Jane começa seu depoimento com a frase: “Meu nome é Jane Goodall e eu tenho 80 anos. Meu trabalho é dar esperança às pessoas”.

Relembrando a própria infância, ela revelou que a mãe foi a maior incentivadora de sua carreira acadêmica. “Eu aprendi com a minha mãe a grande importância do apoio. Quando eu era criança, ela incentivou todo o meu amor irracional por animais. Quando eu quis viajar para a África aos 10 anos, e todo mundo riu de mim, ela me apoiou e simplesmente disse algo que eu levo no coração e sempre repito: ‘Se você quer fazer algo, precisa estar preparada para trabalhar duro. Aproveite as oportunidades e não desista em hipótese alguma’”.

O conselho da mãe não foi em vão. Após 40 anos de dedicado ao estudo de chimpanzés, Jane é considerada a maior especialista do mundo no ramo e seus estudos representaram avanços significativos na compreensão do  comportamento animal, focando nas interações sociais e familiares.

Reprodução

Reprodução

Aos 80 anos, ela revela que sente que muita coisa ainda ficou por fazer. “Eu gostaria de voltar no tempo e me doar um pouco mais. Eu não sei o quanto ainda tenho a viver, mas certamente cada ano me leva para mais perto do fim, seja ele qual for”, afirmou, completando: “Há tanto lugares que eu gostaria de conhecer, tantas pessoas com quem gostaria de conversar, tantos corações que eu gostaria de tocar.”

Questionada sobre o conceito de felicidade, Jane revelou que acredita na alegria proporcionada por pequenos momentos. “Eu fico completamente feliz quando estou sozinha na natureza. Eu também fico realmente feliz quando me reúno com meus amigos à noite, especialmente em volta de uma fogueira, contando historias e bebendo um pouco de vinho tinto”, afirmou. Ela declarou ainda que um dos momentos que mais a alegram são os passeios com o cachorro.  “Cachorros me fazem muito, muito feliz. Você pode ser você mesmo com um cachorro. […] Nós não somos os únicos seres vivos com personalidades e mentes capazes de raciocinar. Certamente não somos os únicos seres vivos com emoções como felicidade, medo e amor. Não somos os únicos capazes de dar e receber amor”, refletiu.

Famosa por seu engajamento em causas ambientais, Jane declarou que a maior dificuldade do ativismo ambiental é lutar contra o poder do dinheiro. Ela revelou que com frequência conversa com governantes e que quase sempre eles concordam com suas ideias, mas sabe que as mudanças não ocorrem por pressão das corporações que mantêm os governos em suas mãos graças ao poder do lobby.

Questionada sobre as mudanças que faria no mundo, Jane reduziu seu ideal de mundo a um conceito: sustentabilidade.  “Se eu tivesse esse super poder de mudar algo no mundo, eu reduziria o número de pessoas no planeta, desde que isso não causasse nenhum tipo de dor ou sofrimento. Somos muitos! Nosso planeta possui recursos finitos e estamos usando tudo. Isso representa um futuro de muito sofrimento”, afirmou.

Ela também gostaria de erradicar a pobreza. “Quando você é pobre, não importa o sofrimento individual, você destroi o meio ambiente para sobreviver. Você precisa cortar as árvores para plantar um pouco de comida para a sua família. Ou você tem que comprar a comida mais barata mesmo que isso cause um sofrimento terrível aos animais ou escravize crianças em algum lugar do mundo”, afirmou.

Por fim, ela revelou que se possuísse o poder de mudar o mundo, sua prioridade seria transformar o modo de vida insustentável que domina o mundo. “Somos tão gananciosos! Eu sempre penso na frase de Gandhi que diz: ‘O planeta pode suprir todas as necessidades humanas, mas não todos os seus desejos’. Isto é absolutamente correto”, refletiu.

Assista o vídeo completo:

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s