Diferentes formas de enfrentar turbulências emocionais

As pressões cotidianas nem sempre podem ser mudadas, mas é possível aprender a identificar as turbulências emocionais e a lidar com elas e, então, recuperar o equilíbrio

É primordial dosar vida profissional com pessoal
Foto: Getty Images

As explosões, a tentativa de controlar tudo ou a vontade de jogar de vez a toalha são sinais de alerta: é hora de se cuidar. “O desafio está no plano emocional e físico, altamente exigidos, que precisam estar em harmonia para enfrentar o desgaste”, avalia Wilson Rondó Jr., médico especializado em terapia molecular e prevenção do envelhecimento e stress. Ok, mas já que não é possível mudar o mundo num piscar de olhos, que tal alterar a maneira como você se relaciona com ele?  “É primordial dosar vida profissional com pessoal, proporcionar-se pequenos prazeres diariamente e praticar atividade física”, recomenda Luiz Vicente Figueira de Mello, psiquiatra pesquisador e supervisor do Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria HCUSP. Para iniciar esse caminho, é necessário um replanejamento e a mulher deve se observar, checando se consegue dar conta do recado sozinha. “Quando um sintoma aparece, seja apatia ou ansiedade, é sinal de que um padrão de comportamento já se instalou há algum tempo”, pontua Teresa Avolio, psicoterapeuta fenomenal-existencialista. Então, se o mal-estar persistir e você se sentir incapaz de aliviá-lo, é hora de procurar o médico ou o terapeuta. Confira a lista de sintomas e uma série de atitudes para amenizá-los. As orientações são dos especialistas citados, Heloísa Capelas, terapeuta familiar especializada em reeducação emocional e coordenadora do Centro Hoffman de Quadrinidade, e terapeuta e iogue Suely Firmino, autora de Raja Yoga – Quebrando Correntes (editora Madras).

Apatia

Alerta amarelo – Cansaço e fraqueza, falta de ânimo para as tarefas rotineiras, dificuldade para acordar, desinteresse por tudo, pessimismo, queda de autoconfiança, falta de coragem.

Alerta vermelho – Alteração significativa do peso (engordar ou emagrecer) em pouco tempo, disfunção do sono que interfere no desempenho, tendência ao isolamento, angústia, choros constantes, pensamentos repetitivos e negativos.

Para reanimar – Pratique atividades em grupo, como um esporte em equipe. Se anda solitária, tente envolver-se em ações sociais ou comece um curso – é fundamental manter contato com as pessoas. Não se exija demais, interaja da forma que conseguir. Aproveite a fase introspectiva e comece um diário: anote desejos, medos, ideias. Atrás da apatia, poderá descobrir um turbilhão de sentimentos para serem acolhidos. Pela manhã, o desânimo piora. Tome sol para se energizar. E experimente este exercício: escolha uma escova com cerdas sintéticas e bolinhas na ponta. Passe óleo no corpo (de ilangue-ilangue ou bergamota, que animam) deslizando a escova sempre de baixo para cima, numa sequência vigorosa, mas sem machucar. Faça três repetições e tome uma boa ducha depois. A prática ativa as circulações linfática e sanguínea, limpa toxinas e dá disposição. Se o ânimo continuar oscilante, faça um check-up sob supervisão médica. Problemas orgânicos, como anemia, diabetes ou disfunções hormonais e nutricionais, também podem provocar apatia.

Raiva

Alerta amarelo – Dificuldade para conter as emoções. Explosões emocionais passageiras, porém repetitivas, seguidas de uma dose incômoda de culpa, remorso e baixa auto-estima.

Alerta vermelho – O sentimento se manifesta de modo persistente e prolongado, gera pensamentos vingativos e hostis ou comportamentos agressivos. Sensação de impotência e descontrole diante da fúria. Sudorese, tremores e taquicardia.

Para controlar – Lembre-se de que é normal sentir raiva. Siga a técnica dos três passos para aprender a lidar com ela: 1 Acolha esse sentimento, você não precisa reprimi-lo, mas reconhecê-lo. Assim, impedirá que ele conduza suas ações. 2 Antes de reagir, respire e questione-se: se eu fizer o que quero agora, quais serão as consequências? 3 Aguarde a melhora, que é gradual. Num primeiro momento, talvez não consiga conter-se. Depois, interromperá o acesso de raiva no meio e, enfim, evitará que ele aconteça. Inclua mais prazer em sua vida e sua capacidade de tolerar frustrações aumentará. Aprenda a se comunicar. Em vez de ir engolindo a raiva até explodir, manifeste sua insatisfação quando ela aparecer. Seja objetiva: diga o que lhe desagrada; dê uma sugestão ou peça que a pessoa envolvida ajude a pensar numa saída. Isso vai aliviar a pressão.

Ansiedade

Alerta amarelo – Alteração do apetite e do sono; preocupação e sensação de sobrecarga. Baixa energia para tarefas rotineiras; inquietação. Dificuldade de se desligar das obrigações.

Alerta vermelho – Emagrecer ou engordar demais; oscilação no padrão do sono (insônia ou excessiva sonolência), sudorese exagerada, taquicardia, falta de ar, ausência de espontaneidade, pensamentos frequentes relacionados à morte.

Para apaziguar – Pratique atividade física pelo menos três vezes por semana. Os exercícios equilibram serotonina, dopamina e adrenalina: em um mês sentirá a melhora. Assuma que não é possível fazer tudo; defina prioridades ; e não emende as obrigações, faça pausas, gratifique-se pelo dever cumprido. Eduque sua mente – a pessoa ansiosa se tortura com cobranças e críticas. Uma estratégia é “responder” a essas ordens mentais como se falasse com uma criança, repreendendo os pensamentos desfavoráveis com carinho e firmeza. A cada torpedo negativo da mente, retruque com um positivo, lembrando de suas conquistas pessoais. E medite: seja com a ajuda de um livro ou de uma escola. Meditar interrompe o fluxo mental, trazendo equilíbrio. A hatha ioga é um bom caminho para se iniciar no terreno do silêncio interior.

Rigidez

Alerta amarelo – Apego excessivo à rotina e à organização. Mau humor e instabilidade diante de pequenas mudanças e imprevistos. Irritabilidade, autocobrança e perfeccionismo.

Alerta vermelho –  Intolerância, dificuldade em relacionar-se e adaptar-se a situações novas, ataques de cólera. Mania de ordem e de limpeza. Adoção de rituais como lavar as mãos sempre, verificar se as portas estão fechadas etc.

Para flexibilizar – Investigue do que você tem medo. Com frequência, a rigidez é um modo que a pessoa encontra para se proteger de algo que considera uma ameaça. Pergunte-se: o que me deixa instável? O que vai acontecer se eu me sentir insegura? Eleja em que aspectos é fundamental manter um bom desempenho, mas não deixe que o seu critério de excelência abarque todas as áreas da vida. Não dá para ser ótima em tudo. A massagem e a dança de salão são boas indicações para aliviar essa dureza. Na massagem, permitir que alguém a toque é um exercício de entrega e confiança. No salão, terá que soltar o corpo e deixar-se conduzir pelo parceiro. Dançar conforme a música traz jogo de cintura. Nos dois casos, talvez sinta-se desconfortável no início. Persista. Em troca, terá prazer e ganhará maleabilidade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s