Óleo de cozinha não é tudo igual!

Tire proveito de cada tipo e saiba que, com moderação, as gorduras e os óleos são importantes em uma dieta rica!

Canola, soja ou milho? Aprenda os benefícios que cada óleo pode trazer à sua saúde
Foto: Thinkstock

Ao contrário do que muita gente pensa, o corpo também precisa de gordura, principalmente das “gorduras do bem”, aquelas de origem vegetal, conhecidas como insaturadas e que podem ser encontradas nos diversos tipos de óleos de cozinha. “Ele ajuda no transporte de vitaminas pelo organismo, é fonte de energia e ainda regula o funcionamento do intestino. Deve estar presente na alimentação, mas em doses moderadas”, afirma Rafael Camassutti Bedore, engenheiro de alimentos da empresa Sementes Esperança.

E fique atenta, pois quando submetida ao calor muito forte, o óleo, seja qual for, perde valores nutricionais e libera toxinas nocivas: “Quanto mais alta a temperatura e maior o tempo de aquecimento, mais prejudicial. E o alimento frito nesse óleo também fica sem propriedades nutritivas”, alerta Eliane de Carvalho, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP). Para diminuir o problema, a Anvisa recomenda que a fritura seja feita, no máximo, a 180°C ou antes de o óleo soltar fumaça. E o ideal é manter o fogo baixo, ok?

Saiba mais sobre cada tipo de óleo:

Algodão– Livre de gorduras trans, é fonte de vitamina E e de ômegas 3 e 6. Combate os radicais livres e previne o envelhecimento precoce. Suas características são mantidas após o aquecimento no processo de fritura, diferente dos outros óleos.

Coco– Estudos recentes mostraram seus efeitos benéficos na diminuição do colesterol ruim (LDL) e na elevação do colesterol bom (HDL). Também aumenta a saciedade e auxilia quem tem diabetes tipo 2 a manter os níveis de glicose no sangue sob controle.

Milho– Rico em gorduras poli-insaturadas, ajuda na redução do colesterol ruim, prevenindo doenças do coração. Tem vitamina A, um grande aliado do sistema imunológico, e vitamina E, antioxidante que retarda  o envelhecimento.

Amendoim– Com ômega-9, reduz o LDL (o colesterol ruim) e previne doenças cardiovasculares.

Gergelim– É um alimento de excelente qualidade nutricional graças às altas taxas de ácidos graxos insaturados, que reduzem o colesterol e o risco de doenças cardiovasculares.

Soja– Possui ômega-6, que afasta doenças cardiovasculares e é indispensável para as grávidas.Também inibe a demência na velhice e o mal de Alzheimer.

Azeite de oliva– Contém altas taxas de vitamina E, betacaroteno e polifenóis – substâncias com efeitos antioxidantes. Também há evidências de que protege o coração e previne o câncer.

Girassol– Rico em diversas vitaminas (A, D, E e complexo B), além de minerais e ácidos graxos insaturados, este óleo ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e a diminuir os níveis de colesterol e da pressão arterial.

Canola– É um dos mais saudáveis: tem ômega-3, que evita a arteriosclerose. Além disso, é rico em vitamina E, poderoso antioxidante, e em gorduras monoinsaturadas, que reduzem os níveis de LDL.

Linhaça– Tem poder cicatrizante e é rico em ômega-3 – gordura que previne e auxilia no tratamento de doenças inflamatórias e cardíacas. Não deve ser superaquecido, pois perde suas propriedades nutricionais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s