Aprenda a harmonizar vinhos sem mistérios

Antes de chegar à combinação ideal, entenda melhor sobre como o equilíbrio entre gastronomia e vinho é criado. Até mesmo chocolates eles podem ser harmonizados!

Para cada sabor, um vinho diferente para equilibrar!
Foto: Getty Images

Muitas vezes, acertar na combinação do vinho com o prato a ser servido – ou até mesmo os pratos -, parece uma tarefa quase impossível. Até para quem gosta e conhece um pouco mais do assunto, é preciso testar as escolhas antes de servir para os convidados, amigos ou a família. Com algumas dicas simples do sommelier Daniel Místico, da Casa Valduga, tradicional vinícola do sul do país, você consegue afinar a escolha e tem mais chances de acertos!

Existem três maneiras de criar o equilíbrio entre alimento e bebida:

1. Harmonização por tradição

A mais comum e mais fácil de equilibrar, este tipo de harmonização é a que combina pratos e vinhos da mesma região. Por exemplo, você pode escolher o bacalhau e um vinho tinto português de maior acidez. Outra sugestão do sommelier é o filé-mignon com um tinto de Bordeaux, região da França famosa por seus rótulos.

2. Harmonização por contraposição

Talvez a mais difícil de todas, a contraposição cria o “conflito” de doce com salgado, tanto do prato quanto do vinho. Diz-se a mais complexa, pois a receita servida tem grandes variações como acidez, açúcar, álcool, corpo e o sabor, que se diferenciam no modo de preparo de cada pessoa. “Um bom exemplo de combinação é um queijo de sabor forte com um vinho mais adocicado”, aponta o sommelier Daniel. Se quiser apostar nessa combinação, não se preocupe em testar várias vezes suas escolhas!

3. Harmonização por concordância

Tão usual quanto a tradicional, a harmonização por concordância une o “óbvio”: doce com doce, salgado com salgado, ácido com ácido… Mas nem sempre o que parece doce, para um vinho, é o mesmo doce que uma sobremesa, por exemplo. O chocolatier Rafael Alvarenga, da Cacau Show, combinou produtos da marca com os vinhos sugeridos por Daniel, todos seguindo esta linha de equilíbrio: chocolate branco com vinho branco moscatel, chocolate amargo e meio amargo com cabernet sauvignon, e chocolate ao leite com um vinho cabernet sauvignon com merlot, conhecido por ser de sobremesa.

“Não existem regras exatas para a harmonização de vinhos, pois elas dependem muito da experiência pessoal em relação a bebida”, explica Daniel. No fundo, a escolha certa é muito mais subjetiva do que objetiva, já que existem pessoas que preferem vinhos mais secos, outras mais doces, algumas se deliciam com vinhos ácidos. Um jeito que o sommelier aponta para ajudar a acertar em cheio é saber o que você quer atingir com aquele rótulo. “Fica muito mais fácil para o sommelier indicar tal bebida quando o cliente explica para que ocasião aquele vinho vai servir: um jantar formal, uma comemoração, um coquetel… Só com essas informações, consigo criar sugestões que se encaixem no perfil dele”.

Que tal experimentar receitas que levam vinho? Conheça todos os pratos clicando na imagem abaixo:

 Aprenda a harmonizar vinhos sem mistérios 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s