Victor se pronuncia pela primeira vez após acusação de agressão

O cantor comentou sobre as acusações de ter agredido a pontapés a esposa Poliana Chaves, que está grávida, no programa "Fantástico", no domingo (26).

Neste último sábado (25), a esposa do cantor sertanejo Victor da dupla Victor & Leo defendeu o marido após tê-lo denunciado por violência doméstica na sexta-feira (24), em uma postagem de uma carta assinada feita numa conta no Instagram que leva seu nome e não possui nenhuma foto.

Leia mais: Esposa de Victor defende o marido em carta: “Nunca me machucaria”

Desde o dia em que o caso veio a público, Victor não havia se pronunciado. A primeira vez que comentou sobre as acusações de ter agredido a pontapés a esposa Poliana Bagatini Chaves, de 29 anos, que está grávida, ocorreu no programa “Fantástico”, no domingo (26).

Veja também: Esposa de Victor faz corpo de delito e é denunciada pela mãe dele

Poliana realizou o exame de corpo de delito no sábado (25), após prestar queixa contra o companheiro e relatar ter sido impedida pela irmã e pelo segurança pessoal da família quando foi à delegacia, na sexta-feira (24). Ela ainda disse ter recebido mensagens eletrônicas por parte da irmã de Victor com ameaças. A mãe do cantor também fez um boletim de ocorrência contra a nora.

Leia mais: Esposa de Victor, do Victor e Leo, presta queixa de agressão

No fim da tarde de domingo (26), o artista negou todas as acusações em entrevista concedida à revista eletrônica, em Belo Horizonte. Victor era jurado do reality “The Voice Kids” e deixou o programa após o apresentador André Marques anunciar seu pedido de afastamento.

Veja também: Victor é afastado do The Voice Kids após denúncia de agressão

“A única coisa que posso dizer que é a minha família é o meu bem maior. E que toda a minha postura sempre foi de preservar a família, e que eu vou continuar fazendo isso. Toda essa exposição me pegou de surpresa. Eu jamais agrediria alguém na minha vida, muito menos minha exposa, que está grávida do João”, disse ele.

Segundo consta na Lei Maria da Penha, mesmo que as vítimas apresentem outras versões, geralmente motivadas por coerção — as investigações devem continuar. Inquéritos de casos de violência doméstica independem de representação da vítima para serem apurados. Assista à entrevista completa.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s