Planejando o casamento: Em busca do lugar perfeito (e possível)

Fazer uma festa de casamento em São Paulo me parecia fácil com tantas opções, mas não foi bem assim... Essa foi minha saga até encontrar o local dos sonhos

Fazer uma festa de casamento em São Paulo me parecia fácil. Sou de Curitiba e desde que me mudei pra capital paulista, há quase 10 anos, fiquei mal-acostumada com as milhares de opções que existem aqui. A variedade de lugares pra comprar, comer, passear são quase infinitas. Então, presumi que seria igual com os fornecedores de casamento! E claro, existem muitos espaços, buffets, fotógrafos, mas foram poucos os que me chamaram a minha atenção logo de cara.

Digamos que sou exigente: venho trabalhando com a produção visual do caderno de Casa & Comida de CLAUDIA há algum tempo e me familiarizei com os melhores e mais conceituados profissionais do ramo de eventos. Entre chefs, floristas, produtoras, decoradoras e afins, meu bom gosto foi alimentado pelas ideias mais criativas e atuais, como você vê todo mês no nosso Receber e nas lindas matérias de culinária. Mas como trazer isso pra fora das páginas e de volta pro mundo real, onde tudo tem que caber dentro de um orçamento muito bem calculado e dividido entre várias partes?

(Mario Lima/Divulgação)

Encarei o desafio e comecei do começo. O primeiro passo foi ter uma conversa séria e delicada com nossos familiares sobre uma coisa chata chamada dinheiro. Essa conversa trouxe à tona questões que rendem assunto pra muitas colunas, a principal delas sendo: “Será que estou egoísta??”. Tive a sorte de poder contar com o apoio das nossas famílias e todos concordaram em ajudar, cada um do jeito que podem. A emoção nessa hora é enorme: ter as pessoas mais amadas da sua vida colaborando pra realizar um sonho seu. Não existem palavras pra expressar a gratidão e felicidade. Espero que, no final, seja uma celebração de todo esse amor, não só do casal, mas da nova família que se cria.

Definido o orçamento, pude começar a investigar os locais disponíveis. Como falei antes, achei que teria opções de sobra. Fui logo nos que já tinha visitado a trabalho, onde já conhecia como designer. Mas agora eu era noiva e precisava olhar o espaço com outros olhos. Meus delírios de casar de dia, em um belíssimo jardim florido foram ficando pra trás, vencidos por preços inacessíveis e logísticas complicadas. Decidimos fazer a cerimônia e festa no mesmo local, dentro de São Paulo – tudo pra facilitar. Mas não queria algo que o lugar tivesse ares corporativos, sem personalidade. Para nossos 200 convidados, encontrei lugares pequenos demais (“vai ficar apertado!”) e grandes demais (“a festa vai ficar miada!”).

Descobri que existem diversas dinâmicas de montagem e desmontagem de cerimônia e que cada espaço é diferente nesse sentido. Se a cerimônia vai ser no fundo do salão, os convidados vão ver toda a decoração antes da festa começar? E quem quiser ficar sentado, vai ficar muito isolado da pista? E, nos espaços maiores, vou ter que investir muito mais em mobiliário? São questões que nem imaginava! Só queria um lugar com a nossa cara, que fosse integrado, onde todo mundo ficasse dentro da festa (afinal, esse é o objetivo de tudo isso: comemorar com as pessoas que amamos!). Decidi deixar o coração me guiar.

Fiquei encantada com muitos espaços, cada um com seu charme, mas quando entrei no Jardim Leopoldina, em São Paulo, meus olhos encheram de lágrimas, sem motivo algum! Logo soube que tinha encontrado o que procurava, finalmente: é uma mistura de moderno e clássico, com uma pegada industrial, num salão único pra animar uma grande festa. A cereja em cima do bolo: era possível, financeiramente! Lá, você fecha um pacote de aluguel do espaço, buffet, DJ e decoração. É um combo das 4 coisas mais importantes da festa e assim vou poder cuidar dos detalhes como a maníaca-obsessiva por casamentos que sou.

(Divulgação/Divulgação)

Fechamos uma data mais do que especial: mesmo dia que meus avós se casaram, há 43 anos. Eles fazem o casal mais incrível que eu conheço e espero que a data nos empreste um pouco da magia que os mantém juntos até hoje. Detalhe: os contratos foram assinados (com ajuda de uma advogada, claro!) com quase dois anos de antecedência. Quando falei que era ansiosa, eu não estava brincando! Mas assim vamos conseguir pagar tudo em 20x com calma até o grande dia.

Agora nos resta esperar! Logo começam outras loucuras: a procura do fotógrafo, dos docinhos, do bolo, do ai-meu-coração-vestido! E por aí vai…

Ah! Criei um Instagram pra compartilhar com vocês as ideias que mais gosto! São referências-sonho que espero poder reproduzir de alguma forma (de preferência mais barata!) na minha festa, daqui a 491 dias! Espero vocês lá em @500diaspracasar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s